Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Schumacher está consciente

20 de Junho, 2014

Jornal suíço soube que o ex-piloto esteve sempre acordado durante a transferência de França para o hospital de Lausane

Fotografia: DR

Um jornal suíço falou com o serviço de ambulâncias que fez a transferência de Michael Schumacher de Grenoble (França) para Lausanne (Suíça) e soube que o ex-piloto esteve sempre acordado. O processo foi tratado com o máximo sigilo e quando os enfermeiros se aperceberam de quem iam acompanhar, tiveram de entregar os telemóveis, de modo a não poderem tirar fotos do paciente, bem mais magro depois dos 170 dias que esteve em coma, na sequência do acidente sofrido em França quando esquiava.

"Schumi" está internado na unidade de neuro-reabilitação do hospital de Vaudois e o tratamento passa por se submeter a estímulos familiares, como ouvir música ou cheirar odores que aprecie.

 Schumacher, sete vezes campeão do Mundo de Fórmula 1, de 45 anos, estava antes internado num hospital de Grenoble depois do acidente sofrido a 29 de Dezembro de 2013, quando esquiava numa estância de Meribel, nos Alpes franceses, em consequência do qual bateu com a cabeça numa pedra.

Na altura, Schumacher foi submetido a duas intervenções cirúrgicas e colocado em coma induzido.

Em finais de Janeiro, os médicos iniciaram o processo de despertar o alemão.

"A sua família gostava de agradecer expressamente aos médicos, os cuidados prestados pela equipa clínica e pela administração do hospital de Grenoble, assim como aos primeiros socorros que acorreram ao local do acidente. Todos fizeram um trabalho formidável durante estes primeiros meses", lê-se no mesmo comunicado, no qual constam ainda os agradecimentos "a todas as pessoas que enviaram os melhores desejos de recuperação ao Michael. Que, certamente, ajudaram".

A família de Schumacher e o hospital de Grenoble não vão realizar qualquer conferência de imprensa, reiterando o pedido ao recato.
"Pedimos a todos para que, no futuro, respeitem o facto de que esta longa fase de recuperação ser realizada de forma privada", acrescenta o comunicado.


Force India pede revisão para pena de Sergio Perez

A Force India juntou novas provas e pede que seja feita uma nova audiência para rever os factos do acidente entre o piloto da equipa inglesa, Sergio Perez, e Felipe Massa, da Williams.

Os dois pilotos tiveram um forte embate em Montreal, no GP do Canadá, na última volta. Massa, que era um dos mais rápidos na pista, vinha com velocidade e tentou ultrapassar Perez, mas ambos acabaram por colidir.

Em audiência realizada para entender os acontecimentos, a comissão da FIA resolveu punir Perez por achar que ele mudou a sua linha de corrida.
Os comissários da corrida vão reunir-se hoje de manhã para averiguarem a nova evidência e vão decidir se realmente ela é plausível de uma nova audiência com uma investigação mais aprofundada.

Se decidirem a favor, vão rever se devem ou não manter a punição para Perez. A decisão será tornada pública na própria sexta-feira à tarde.
Em função do acidente, na primeira reunião feita pela comissão, ficou decidido que Perez perde cinco posições na corrida seguinte, este final de semana, na Áustria.


Magnussen
confiante


Kevin Magnussen, que chamou a atenção de todos no começo da época por ter ficado na segunda posição logo na primeira corrida do ano, garante que se mantém confiante para voltar a subir ao pódio.

“É importante ficar confiante. A confiança não é algo que você pega, ela está dentro de você e é algo que se constrói ao longo de muitos anos. Ela não vai embora assim, mas você tem que entender o que está a causar esses maus resultados”, afirmou Magnussen. Depois do segundo lugar no Grande Prémio da Austrália, o máximo que  conseguiu foi a segunda posição na Malásia e no Canadá, segunda e sétima corridas da época, respectivamente.

Enquanto isso, Jenson Button, que foi o terceiro em Melbourne, também teve maus resultados, mas acumula duas corridas em sexto e o quarto lugar no GP do Canadá. Confiante, Magnussen faz questão de destacar a sua própria habilidade, mas sabe reconhecer que precisa de melhorar para vencer.

"Mesmo que se tenha confiança na sua própria capacidade,  ainda se pode estar errado e conduzir de forma errada. Eu acredito que eu tenho a capacidade de ser o melhor, mas eu também entendo que eu nem sempre sou o melhor. Eu preciso de aprender e melhorar em muitas áreas. Acredito no meu potencial, mas eu não acredito que estou melhor do que posso ser. Preciso de melhorar”, concluiu.