Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Scott Redding augura top-6

07 de Março, 2016

Scott Redding completou a última série

Scott Redding completou a última série de testes da pré-época 2016 da MotoGP, com o segundo melhor tempo. O piloto da Pramac cravou 1min55s326 na sua melhor volta e fechou o exercício em Losail, no Qatar, com 0s516 de atraso para Jorge Lorenzo, o líder dos trabalhos.
Recém-chegado à Pramac, Redding contou que queria descobrir logo o potencial e frisou que cravou a  marca com um pneu desgastado, o que é um bom indício para a corrida.

Em declarações à imprensa, disse que está "feliz" e "queria pressionar bastante" para ver o seu potencial. No início, a equipa teve dificuldades com os novos pneus, mas as coisas melhoraram depois de um dia.

Depois de uma temporada difícil a bordo da Honda da Marc VDS, Scott mostra-se confiante em ter uma performance melhor, com a Ducati da Pramac.
“Estou muito feliz, sinto que a confiança está a aumentar. Nesses dias também tivemos duas motos e isso  deu-me a oportunidade de forçar sem ter nenhuma preocupação”, lembrou.

Quase na véspera do início da época, Redding colocou o top-6 como meta e avaliou que já provou que é capaz de alcançar este nível. “O GP do Qatar? Quando digo que a minha meta é o top-6, alguém começa a rir. Estou a provar ser capaz de ficar nesse nível e vou tentar fazer ainda melhor”, brincou.

Um pouco depois, foi Yonny Hernández quem surpreendeu. O colombiano conduz a GP14.2, saltou para o quarto posto. Anteriormente, o piloto da Pramac tinha o 15º tempo. O circuito de Losail é reconhecidamente uma boa pista para a Ducati.

De volta após a queda, Valentino Rossi subiu para o sétimo posto, 1s2 atrás do companheiro de Yamaha.  Na sequência, a bandeira vermelha foi accionada em Losail por conta de tombos de Loris Baz e Aleix Espargaró. Os dois pilotos não se feriram com gravidade.

Quando a sessão foi reiniciada, Redding saltou para o terceiro posto, 0s050 atrás de Iannone. Maverick também foi melhor e subiu para segundo, 0s523 atrás de Jorge.
Redding subiu para a terceira posição ao colocar-se como melhor representante da Ducati. Crutchlow seguiu a mesma passada e pulou para a quinta posição e colocou-se como único piloto da Honda dentro do top-10.

Rossi também conseguiu apertar o passo e assumiu a quarta posição, 0s6 atrás de Lorenzo, que seguia intocável na liderança.
Rabat não esteve num bom dia. O piloto da Marc VDS sofreu a segunda queda. O espanhol tinha o 17º tempo, à frente de Jack Miller.