Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastian Vettel cita "conto de fadas"

03 de Dezembro, 2014

Sebastian Vettel cita “conto de fadas”

Fotografia: AFP

 O tetracampeão estreou-se na pista particular da equipa em Fiorano, na Itália, a bordo de uma F2012, utilizado pela equipa na Fórmula 1, há dois anos.Vetado pela Red Bull, com quem ainda tinha contrato em vigência, de participar dos testes em Abu Dhabi, Vettel foi à pista para acumular quilometragem e testar o formato do banco. O carro usado foi o de 2012, porque o regulamento da Fórmula 1 não permite testes privados com  novos modelos.

Em entrevista à imprensa, Sebastian Vettel falou sobre as primeiras voltas. “Há um monte de conto de fadas sobre a Ferrari e como se sente ao pilotar o carro vermelho. No fim das contas, só posso confirmar que esses contos de fadas são reais. Não é apenas uma história, é uma lenda que existe”, declarou o tetracampeão. O alemão disse que “é muito especial virar parte disso e estar dentro do carro, ver as pessoas a chegar, correr para a pista e tentar subir nos muros para ver o carro”.

“É algo mágico, que aconteceu e nunca esquecerei”, completou.Vettel chegou a Maranello, pilotou e testou o simulador da equipa. Depois, o alemão reuniu-se com figuras importantes da Ferrari, como o presidente da fabricante, Sergio Marchionne, o novo chefe de equipa, Maurizio Arrivabene, e o director técnico, James Allison.O tetracampeão utilizou no capacete uma frase em vermelho com a inscrição “O meu primeiro dia na Ferrari”, com a data de 28 de Novembro ao lado. Pilotou com o seu número fixo na F1, o cinco, que vai utilizar a partir do próximo ano, depois de ter perdido o um para o actual campeão, Lewis Hamilton.

VETTEL E ALONSO
Robert Kubica
fala de pilotos


Robert Kubica participou do Monza Rally Show no último final de semana, quando foi questionado sobre a recente movimentação no mercado de pilotos da Fórmula 1. Os recentes acontecimentos assinalaram as transferências de Fernando Alonso, da Ferrari para “possível” McLaren e de Sebastian Vettel da Red Bull para Ferrari. Os factos geraram uma reacção bem humorada do piloto polaco.
“Quem ganhou mais entre Fernando e Vettel? Não conheço os seus contratos. Portanto, seria impossível dizer quem ganhou mais. Brincadeiras à parte.

A F1 é um desporto altamente competitivo e muito mais complexo do que aparece na TV. Nos últimos anos, a Ferrari teve muitas dificuldades e foi por esta razão que Alonso preferiu sair. O espanhol não vai para uma equipa de topo, mas há um novo fabricante de motor a chegar”, disse.O vencedor do Grande Prémio do Canadá de 2008 e terceiro colocado no mesmo ano no mundial de pilotos, insiste que a categoria é complicada de se acompanhar, inclusive por parte de quem já passou por ela.“Vamos ver quem fez a melhor escolha, mas vai ser difícil recuperar a diferença para a Mercedes. Repito, a F1 é muito difícil de acompanhar de fora do paddock, mesmo se já correu por alguns anos, é impossível prever os resultados”, acrscentou.