Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastian Vettel firme na Red Bull

14 de Junho, 2014

Tetra-campeão mundial da F1 Sebastian Vettel quer manter contratos de trabalho de curta duração com uma equipa

Fotografia: AFP

O novo contrato de trabalho do engenheiro Adrian Newey com a Red Bull criou efeitos poucos motivacionais ao tetra-campeão mundial Sebastian Vettel. O piloto alemão descarta manter vínculo contratual com a equipa penta-campeão mundial, por conta do afastamento do "mágico" da equipa Adrian Newey, em 2015. A revelação foi feita após a etapa do Montreal no último domingo, segundo o jornalista Byron Young.

Questionado sobre o seu futuro, sem a presença do engenheiro multicampeão de Fórmula 1, Vettel assegurou que o contrato com a Red Bull é "longo e suficiente", mas está à procura de "contrato de curto prazo".

O alemão realçou que "o foco foi apenas na tentativa de pegar a Mercedes", apesar de ter actualmente um "carro muito competitivo". A vitória de domingo resulta de "muita sorte", mas "o carro ainda não é um pacote optimizado para desafiar e vencer a Mercedes".

Para Christian Horner, essas especulações não passam de meros boatos e que o tetracampeão mundial vai manter-se por muitos anos na equipa rubrotaurina.

“Sebastian nunca vai falar sobre a situação do seu contrato. Desfruta de muito sucesso com a equipa e não tenho nenhuma dúvida de que vai estar connosco por muitos anos”, disse.

CARRO “NOVO”
DA RED BULL

Bastante motivada depois da vitória conquistada em Montreal, no Grande Prémio do Canadá, onde quebrou a sequência dominadora da Mercedes, a equipa Red Bull vai correr literalmente ‘em casa’, no dia 22 de Junho, determinada a vencer novamente na época'2014 de Fórmula 1.« O GP da Áustria realiza-se no circuito de Spielberg. A pista recebeu corridas de F1 entre 1970 e 1987, depois, entre as épocas de 1997 e 2003. Anteriormente, ficou conhecida como Zeltweg (cidade grande mais próxima). Actualmente, o autódromo pertence à empresa multinacional de bebidas Red Bull.

Para tentar um novo triunfo, o engenheiro Adrian Newey promete um carro praticamente novo para a prova. De acordo com a imprensa espanhola, trata-se de um modelo B do RB10 com mudanças e melhorias profundas em relação ao bólide que a equipa colocou na pista na abertura do campeonato, na Austrália.

No Mundial de Construtores deste ano, a Red Bull ocupa a vice-liderança com 139 pontos e uma vantagem de 52 pontos sobre a Ferrari, terceira colocada. A primeira posição da tabela pertence à Mercedes que, após sete corridas, tem 258 pontos conquistados.


LUTA PELO TÍTULO
Berger aposta
em Ricciardo


O austríaco Gerhard Berger, ex-piloto de Fórmula 1, está empolgado com o desempenho do jovem Daniel Ricciardo, de apenas 24 anos de idade, no campeonato 2014 da categoria mais expressiva do automobilismo e justamente na sua época de estreia na equipa Red Bull, uma das equipas de ponta actuais. Berger, que correu pela McLaren e Ferrari, tem fé que o australiano pode sonhar muito alto nos próximos anos.“Ainda não cometeu um erro sequer este ano”, disse Berger.

Daniel Ricciardo conquistou uma vitória em 2014, no último final de semana no Canadá. Além disso, subiu ao pódio oficialmente mais duas vezes (3º) e completou outras duas corridas na quarta posição. O australiano está em terceiro lugar no campeonato com 79 pontos, à frente do seu companheiro Sebastian Vettel. O tetra-campeão mundial está em quinto com 60 pontos.

“É uma nova estrela. Se continuar a adaptar-se tão bem ao carro pode ser campeão do mundo nos próximos anos”, sugeriu o ex-piloto.
Gerhard Berger ressaltou que as pessoas sabem "o quão veloz Vettel é" e neste momento "Ricciardo é a referência dentro da Red Bull e de uma maneira bastante agradável".

A F1 prepara-se para a próxima etapa do campeonato marcada para o dia 22 de Junho e a disputa tem lugar no circuito de Spielberg, na Áustria.


CARRO DESPORTIVO    
Lewis Hamilton na sede da Ferrari


A presença do piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, na última terça-feira, na sede da Ferrari, em Maranello, Itália, criou especulações na imprensa especializada em automobilismo. Vários jornais italianos apontaram uma possível negociação de transferência na F1, quando na verdade, o campeão de 2008 procurou informações para aumentar a sua colecção de carros desportivos. Hamilton pretende adquirir o luxuoso modelo LaFerrari da empresa rubra, como o "Gazzetta Dello Sport".

O "Autosprint" vê nessa presença na fábrica da Ferrari uma manobra do piloto, que tenta mostrar a Niki Lauda e Toto Wolff que o mercado de pilotos está sempre aberto e que pode estar disposto a ouvir novas propostas para os seus serviços. A equipa de Maranello não comentou o assunto. O modelo superdesportivo foi apresentado oficialmente em 2013, mas a primeira das suas exclusivas 499 unidades foi entregue nesse ano. O carro custa a bagatela de 2,38 milhões de euros (cerca de 316,5 milhões de kwanzas), de acordo com as informações do mercado europeu de automóveis de luxo.

Hamilton, em termos desportivos, ainda recupera do ‘golpe’ que levou no GP do Canadá, disputado no último domingo. O inglês, com problemas na unidade motriz do seu carro e também de travagem, foi obrigado a abandonar a prova. Pior do que isso, foi ver o seu companheiro Nico Rosberg, principal rival na luta pelo título, chegar em segundo lugar.

Nico Rosberg lidera a tabela de classificação, com 140 pontos, depois de sete etapas realizadas na F1. O alemão tem uma vantagem de 22 pontos sobre Lewis Hamilton, o segundo colocado na tabelageral.

TOALHA AO TAPETE
A Ferrari já dá o ano de 2014 como perdido e vai focar as suas atenções para o próximo campeonato, segundo o seu presidente, Luca di Montezemolo.

O presidente da marca italiana conversou com o jornal "Tuttosport" e descartou a possibilidade de uma reacção imediata na actual época. “Não creio que podemos fazer milagres a curto prazo, mas estamos a trabalhar forte para o futuro, sabendo que as coisas não foram suficientemente bem feitas este ano. Estamos a atravessar um momento difícil, mas há pouco a ser dito e muito a ser feito”, disse. Luca di Montezemolo assegurou que precisam de melhorar bastante neste ano e cumprem com determinação o plano. "Marco Mattiacci vai ter um desafio enorme para o próximo ano, em várias áreas, porque há muito a ser feito; precisamos de trabalhar para ter um carro e um motor bem mais integrados no próximo ano”, concluiu.


TRATAMENTO
Schumacher em reabilitação


O heptacampeão mundial Michael Schumacher foi transferido para uma unidade especial de reabilitação no hospital universitário de Grènoble, na França, onde está internado desde Dezembro passado devido a um terrível acidente de esqui, de acordo com a revista semanal alemã "Bunte".

As últimas notícias sobre o ex-piloto dão conta de que permanece em coma artificial e sem grandes alterações no quadro de saúde. Mas a revista "Bunte" reporta que, mesmo com as oportunidades remotas de recuperação, Schumacher está a ser preparado para o tratamento de reabilitação.

A publicação ainda relata que o ex-piloto deixa a unidade neurológica e o próximo passo, a partir do novo tratamento, era a transferência para uma clínica especializada.

Na semana passada, um consultório particular na cidade de Allensbach, na Alemanha, negou que está a preparar-se para receber o heptacampeão mundial.


Mudanças no carro
animam McLaren


A McLaren é uma das maiores decepções da temporada 2014 da Fórmula 1 até ao momento. Com apenas 66 pontos em sete provas, a equipa é a quinta no Mundial de Construtores, atrás até da Force India. Mas a expectativa é de mudança no GP da Áustria, já que foram feitos alguns ajustes nos carros e devem beneficiar Jenson Button e Kevin Magnussen na prova do próximo dia 22.

"Acho que o ajuste que estamos a trazer para a Áustria é bom o suficiente para dar um passo a mais e diminuir a distância de todos à nossa frente", declarou Eric Boullier, director de corridas da McLaren, ao site da Autosport. "Definitivamente, não vamos passar a vencer provas a partir desse ponto, mas é um ajuste decente para diminuir a diferença."

A equipa até começou bem a temporada, com Magnussen em segundo e Button em terceiro, no GP da Austrália, mas desde então nenhum dos dois voltou a subir ao pódio. Boullier admitiu que o desempenho tão abaixo do esperado até ao momento dificultou o trabalho dos engenheiros na busca de ajustes, mas disse que espera um grande acréscimo de velocidade na Áustria.

"É, evidentemente, o momento de tentar produzir novos ajustes o mais depressa possível, mas tudo depende de onde partimos", afirmou. "É verdade que começámos a temporada com um carro que estava com pouca tracção e, ao mesmo tempo, tivemos que redireccionar a estratégia para definir o objectivo da equipa."