Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastian Vettel recebe Taça de 2013

João Carmo - 09 de Dezembro, 2013

Sebastian Vettel finalmente pode acrescentar o quarto título mundial da Formula 1

Fotografia: AFP

Sebastian Vettel finalmente pode acrescentar o quarto título mundial da Formula 1 à sua estante. Na noite da última sexta-feira, duas semanas após o fim da temporada de 2013, o piloto alemão foi condecorado com a taça de campeão do mundo do ano. Desde o momento em que foi matematicamente definido como o tetracampeão da categoria, no GP da Índia, em Outubro, já se passaram quase dois meses.

A entrega foi feita num evento organizado pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo), em Paris. Após receber o troféu das mãos do presidente reeleito da entidade, Jean Todt, Vettel explicou que o sucesso da Red Bull nas últimas quatro temporadas vem da paixão que todos os membros da equipa têm pelo automobilismo, além da motivação de trabalhar duro para criar um carro vencedor."Quando eu penso nas coisas que vivi com a equipa nos últimos anos é incrível", disse o piloto. "É um prazer entrar no carro a cada fim-de- semana e tentar dar tudo. Eu tenho trabalhado muito duro  com a equipa, e o que nos torna tão fortes é que amamos o que fazemos e somos apaixonados pelas corridas", declarou.

O alemão também minimizou a facilidade que muitos dizem que ele teve em 2013. Apesar de ter vencido as últimas nove corridas da temporada, recorde absoluto da história da Formula 1, o piloto lembrou o começo difícil do campeonato, quando era impossível tirar o máximo do carro, que ainda apresentava algumas falhas no que diz respeito ao desgaste dos pneus. "Este ano foi uma temporada difícil, mas ter-me recuperado e dado a resposta certa na pista deixa-se muito orgulhoso. Eu não tenho palavras para descrever o quão incrível é para um piloto manter o título por mais um ano", discursou, arrancando aplausos dos presentes na gala promovida pela FIA.

Quem também acabou premiada foi a própria Red Bull, quatro vezes campeã do Mundial de Construtores. O troféu foi entregue ao chefe da escuderia, Christian Horner, que admitiu ter ficado surpreso com mais uma conquista. Ele lembrou que, na história da Formula 1, foram poucas as equipas que conseguiram vencer o campeonato tantas vezes de maneira consecutiva. "Quando nós vencemos o campeonato pela primeira vez a pressão era defendê-lo. Nós defendemo-lo e depois mantivemo-lo novamente. Tendo alcançado o tri, pensa-se que não há nada melhor, e as oportunidades de levar o tetra parecem estatisticamente improváveis.

Mas a paixão, a determinação e a dedicação de toda a equipa, com o desempenho de Sebastian e Mark foram absolutamente fenomenais", concluiu.A festa da última sexta-feira marcou o encerramento oficial das actividades da FIA na temporada de 2013 da Fórmula 1. Em 2014, as disputas começam no dia 16 de Março, com o Grande Prêmio da Austrália e, ao contrário dos últimos três anos, são finalizadas fora do Brasil.

Anunciada mudança na regra de motores

A Fórmula 1 espera por grandes mudanças na temporada 2014, e quem diz isso são as próprias equipas. O motivo, a mudança no regulamento de motores. Anunciada em Outubro de 2011, a nova regra tem obrigado os engenheiros a trabalhar e pode criar resultados imprevisíveis nas primeiras corridas do calendário. Para continuar a cortar custos, a categoria determinou que os motores V8, de 2,4 litros, usados até o final de 2013, sejam substituídos por motores V6 de 1,6 litros dotados de turbo.

Com motores menores, os carros passam a adoptar o Sistema de Recuperação de Energia (ERS, versão actualizada do Kers), capturando força das frenagens. O ERS, porém, tem o dobro de potência da versão anterior, fornecendo mais energia aos carros.Em resumo, os carros de 2014 são "mais elétricos", movendo-se com combustível fóssil e um sistema complementar de energia. Para deixar claro o carácter "híbrido" dos carros, os tanques de combustível têm as capacidades reduzidas, de 140 kg para 100 kg.