Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastian Vettel sonha com o pódio

14 de Julho, 2014

Carros da Red Bull encontram grande concorrência da Mercedes depois de quatro anos de domínio

O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, sonha com a conquista de um pódio na próxima etapa da época de 2014 de F1, que acontece no circuito de Höckenheim, na Alemanha, no dia 20 de Julho. O tetracampeão sabe que o favoritismo está totalmente com os carros prateados de Nico Rosberg e Lewis Hamilton, os pilotos da equipa Mercedes.

“Nesse momento, a diferença é muito grande e não conseguimos reduzi-la desde a primeira corrida da época. Tem sido um ano de altos e baixos. Obviamente, temos tentado muitas coisas para melhorar, mas a Mercedes esta a fazer o mesmo. Ainda esperamos reduzir mais essa vantagem e penso que no final do ano vamos estar bem melhores”, falou.

Nas suas declarações, a avaliar o Grande Prémio da Alemanha, Sebastian Vettel disse que espera “um fim de semana clamo e sem qualquer problema”. Para a décima etapa da época, o tetra-campeão deixou o sonho: "Vou tentar mostrar o melhor de mim mesmo e do carro. Podia ser muito especial terminar no pódio”.

Nesse ano, em nove corridas disputadas, Sebastian Vettel conquistou dois pódios. Ambos com a terceira posição. Os resultados aconteceram na Malásia e no Canadá.

VITÓRIA
DA MERCEDES

O inglês Jenson Button entende que o regresso da equipa McLaren ao protagonismo nas provas de Fórmula 1, é apenas “uma questão de tempo”. A equipa britânica teve a época de 2013, bem abaixo da média e mesmo o campeonato de 2014, não pode ser considerado bom. A equipa tem um pódio duplo na primeira corrida do ano, que aconteceu na Austrália.

“Para ser sincero, estamos num ano duro. Um ano muito duro”, declarou Button para a emissora de rádio britânica “TalkSport”.
O campeão de 2010 disse, que não estão onde costumam a andar, pois “a McLaren normalmente luta a  frente com as equipas de ponta, mas nesse ano, não tem acontecido desse jeito".

A esperança de Jenson Button continua de pé.
“Estamos a melhorar. O GP da Grã-Bretanha (Silverstone) mostrou isso. Temos o melhor motor. Apenas não conseguimos projectar o melhor carro nessa época. Estamos a trabalhar duro e já conseguimos algumas evoluções nesse campeonato. Além de mudanças no pessoal técnico. Voltar a vencer é uma questão de tempo”, disse.

Na próxima semana, Button e McLaren desembarcam em Höckenheim para a décima etapa do Mundial. O GP da Alemanha está agendado para domingo, dia 20 de Julho, a partir das 13h00 (horário de Angola).

FUTURO DA F1
Pèrez quer outros pilotos a vencer


O mexicano Sergio Pèrez, da equipa Force India, avaliou que a melhor maneira da F1 voltar a atrair a atenção dos fãs e criar uma nova base de adeptos para acabar com o domínio da equipa Mercedes. A equipa alemã simplesmente ganhou oito das nove etapas já realizadas, no Mundial e seis delas com “dobradinha”.

“Penso que a F1 está em buscar de uma forma de melhorar o espectáculo e entendo que a melhor a maneira de alcançar esse objetivo é garantir às outras equipas a oportunidade de vencer corridas ou de lutar pelas vitórias”, falou o azteca em entrevista à publicação especializada “F1Racing”.

“Todos sabemos quem vai vencer o próximo GP. Ou pelo menos, temos 99 por cento de certeza. Obviamente, qualquer piloto gostava de estar no lugar de Nico (Rosberg) e Lewis (Hamilton). Mas a pensar como adepto, não gosto disso, porque é uma coisa muito chata”, falou Pèrez.

“Gosto de ver mais de duas equipas a lutar pelo primeiro lugar e acredito que possamos atingir esse objectivo reduzir a diferença de orçamento entre as equipas e também, estabelecer regras técnicas a determinar o que pode ou não ser feito aos carros”, prosseguiu.

Sergio Pèrez assegurou que podia ser muito bom ver a Force India, Williams e Sauber a disputar com a Mercedes.
"Não estou a dizer que a Force India precisa de ser campeã mundial, mas era óptimo se tivessem a oportunidade de lutar a alto nível e conquistar uma vitória ou outro grande resultado”, disse.

O mexicano disse que “podia ser óptimo também para a F1 e não somente para aequipa”.

ÉPOCA'2014
Equipa Caterham
investe no carro


A equipa Caterham, que está sob o comando de um grupo de investidores suíços, liderados pelo ex-piloto Christijan Albers, desde a confirmação da saída de Tony Fernandes, pretende fazer investimentos ainda no carro deste ano na F1. Com Marcus Ericsson e Kamui Kobayashi como pilotos titulares, a equipa não conseguiu marcar um ponto sequer no Campeonato Mundial.

A equipa pretende apresentar um novo pacote aerodinâmico até o GP da Bélgica, na pista de Spa-Francorchamps, no dia 24 de Agosto. Albers afirmou, que apesar dos custos altos, as mudanças precisam de ser implementadas.
“Queremos algumas boas melhorias nos carros e o mais rápido possível”, disse.

O novo dirigente da equipa Caterham realçou que “não vai ser nada fácil, porque sempre essas mudanças são caras”.
Nas suas declarações, Christijan Albers garantiu que estão a trabalhar, mas primeiro buscam a sobrivência para depois apostarem na evolução do carro por um custo não muito alto.

TRICICLO MANUAL
Felipe Massa
está mais solto


O piloto brasileiro Felipe Massa tem “regalias” de primeiro piloto na F1, de acordo com Rob Smedley, engenheiro da Williams. O tratamento “nobre” no automobilismo é perseguido há muitos anos, depois de perder o título de campeão em 2008, em Interlagos, no Grande Prémio do Brasil.

Felipe Massa não é campeão mundial de Fórmula 1, por uns “míseros segundos”. A fatídica ultrapassagem de Lewis Hamilton em Timo Glock no GP do Brasil de 2008, em Interlagos, modificou uma história que podia  ser de glória. Na Ferrari, ainda sofreu um sério acidente que o tirou de algumas jornadas da época de 2009.

Massa já procurava por mais liberdade na equipa vermelha de Maranello. Um dos motivos para a sua saída, além da vontade da equipa de ter um piloto mais competitivo, era justamente a falta de poder de decisão.Após a sua carreira na Ferrari, Felipe Massa chegou à Williams e modificou um pouco o seu estilo. Antes permissivo, Massa não atendeu a “ordem” da equipa de deixar o seu companheiro Valtteri Bottas passar, diferente do que fez com Fernando Alonso, na Ferrari.

Rob Smedley, que foi engenheiro de Felipe na Ferrari e agora também trocou Maranello por Grove, garantiu que o seu velho amigo está mais relaxado na sua nova casa.

“Conheço Felipe Massa muito bem, é um grande piloto e está a sentir-se livre. Assim, fica mais fácil de fazer aquilo que é pago para fazer e está a fazê-lo. Está mais relaxado, parece-me mais experiente e maduro, está muito bem”, disse Smedley.