Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastian Vettel triunfa e Lewis Hamilton abandona

21 de Setembro, 2015

Piloto alemão manteve a liderança nos primeiros metros sem muitas alterações

Fotografia: AFP

Sebastian Vettel teve um dia de Lewis Hamilton na ponta, controlando o GP de Singapura de ponta a ponta e superando o número de vitórias de Ayrton Senna, tornando-se o terceiro maior vitorioso da história da Fórmula 1. Enquanto isso, o líder do campeonato, que esperava igualar o brasileiro neste final de semana, sofreu uma perda de potência e abandonou pela primeira vez desde o GP da Bélgica de 2014.

Mesmo sem pontuar, contudo, o britânico não teve um grande prejuízo no campeonato. Nico Rosberg foi o quarto colocado e tirou apenas 12 pontos. A vantagem agora é de 41 pontos. Daniel Ricciardo, da Red Bull, e Kimi Raikkonen, da Ferrari, completaram o pódio, de uma prova que teve ainda uma invasão de pista, que provocou um Safety Car.A maré de azar de Felipe Massa em Singapura teve mais um capítulo: o brasileiro primeiro chocou-se com Nico Hulkenberg e teve um furo no pneu, saindo da zona de pontuação. Depois, teve problemas de câmbio e abandonou. Com isso, caiu de quarto para sexto no campeonato. Felipe Nasr chegou a andar em sétimo, caiu para 14º e se recuperou para pontuar pela primeira vez desde o GP de Mónaco, em Maio. O brasileiro foi o décimo.

VETEL ABSOLUTO

Vettel manteve a liderança, nos primeiros metros sem muitas alterações. O segundo era Ricciardo, à frente de Raikkonen, Kvyat, Hamilton, Rosberg, Bottas, Massa, Hulkenberg e Perez. Quem ficou por caminho foi Max Verstappen, que ficou parado na largada, caindo para o fim do pelotão. Nasr ganhou duas posições e subiu para 14º.O alemão da Ferrari passou a andar num ritmo alucinante, abrindo 5s3 em cinco voltas. No top 10, os pilotos passaram a administrar o ritmo, na tentativa de fazer duas paradas, enquanto quem estava atrás começou a ir aos boxes já na volta 9, indicando uma estratégia de três trocas.

Na volta 13, Felipe Massa foi o primeiro dos ponteiros a parar. Na saída dos boxes, bateu com Hulkenberg, causando o abandono do alemão, o Safety Car Virtual e, algumas voltas depois, o Safety Car. Com isso, os primeiros colocados foram aos boxes, com Kvyat perdendo terreno por ter feito a parada antes. Vettel perdeu a sua vantagem, mas manteve a liderança, seguido por Ricciardo, Raikkonen, Hamilton, Rosberg, Kvyat, Bottas, Perez, Nasr e Grosjean. O brasileiro aproveitou para ganhar posições de quem havia adoptado a estratégia de três paradas.

Massa seguiu na pista, mas teve um furo no pneu e voltou aos boxes, caindo para 13º. Hulkenberg foi considerado culpado com a perda de 3 posições na próxima prova. Na ponta, enquanto Vettel, Ricciardo e Raikkonen optaram por continuar com o pneu supermacio, Hamilton e Rosberg optaram pelo macio.Ao contrário da parte inicial da prova, Vettel não abriu, com os três primeiros divididos por 1s5. Na volta 27, Hamilton sofreu uma perda de potência e começou a perder posições. Com o problema do britânico, Nasr ganhou uma posição.

Incidente
Homem invade a pista


Um homem invadiu ontem a pista durante o GP de Singapura. A pessoa não identificada estava de bermuda e andou por alguns metros pela lateral da pista. Por sorte, a presença do indivíduo não causou acidente. Ele deixou a pista segundos depois, por uma grade do circuito.O vencedor da prova, Sebastian Vettel, se surpreendeu pela tranquilidade com que o homem entrou na pista e demorou para sair. Após a prova, o alemão brincou que "ele deve até ter tirado uma foto de dentro."

A entrada do cidadão não identificado obrigou o accionamento do Safety Car na pista. O carro de segurança ficou por poucas voltas controlando os pilotos, até a liberação dos responsáveis pela prova para a sequência do GP.  A organização ainda não explicou por onde surgiu o sujeito e o que a pessoa fazia perigosamente entre os carros. Galvão Bueno, em narração ao vivo pela Rede Globo, ironizou o ocorrido.

"Não sei se estava ventando muito porque não estava trançando uma perna para um lado e para o outro. Mas que ele estava viajando ali, estava", disse Galvão, ainda fazendo piadas com Luciano Burti, comentarista do canal. Não foi a primeira vez que houve uma invasão nesta temporada. No GP da China, durante uma sessão de treinos livres, um homem cruzou a lista na frente de alguns carros e foi em direcção aos boxes. Depois de ser preso, explicou que "tinha um ingresso e queria um carro."

A invasão mais famosa da Fórmula 1, contudo, foi no GP da Inglaterra de 2003, quando o ex-padre Cornelius Horan entrou na pista com cartazes com os dizeres "Leia a Bíblia" e "A Bíblia está sempre certa". A prova foi vencida por Rubens Barrichello. No ano seguinte, nas Olimpíadas de Atenas, o mesmo homem agarraria e tiraria o ouro olímpico do maratonista brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima.Em 2000, a Fórmula 1 teve outra invasão.Um ex-funcionário da Mercedes entrou na pista durante o GP da Alemanha para protestar contra a empresa.

Crença
Piloto alemão ainda acredita no título mundial

A Ferrari de Sebastian Vettel parecia uma Mercedes pintada de vermelho: depois de Lewis Hamilton vencer na Itália liderando todas as voltas, em Singapura foi a vez do alemão liderar de ponta a ponta, controlando o ritmo para bater Daniel Ricciardo, da Red Bull.Com o resultado, o alemão encostou no vice-líder Nico Rosberg, que foi quarto. O piloto da Mercedes tem 211 pontos, contra 203 do ferrarista. Vettel também se colocou a 49 pontos de Lewis Hamilton, que abandonou. A vitória de número 42 também o fez se tornar o terceiro maior vencedor da história da Fórmula 1, superando Senna. Só Alain Prost, com 51 e Michael Schumacher, com 91 triunfos venceram mais que o tetracampeão.

"Foi uma das melhores. Muito intenso. Claro que o Safety Car me ajudou a respirar. Daniel teve uma grande corrida, cuidando muito bem dos pneus. Aqui não é tão fácil de ultrapassar, então usei isso ao meu favor e fiz uma corrida táctica", explicou. "O carro estava incrível, consegui cuidar dos pneus. Foi um final de semana perfeito, então estou muito feliz."

Perguntado qual seu segredo para vencer pela quarta vez em oito tentativas em Singapura, Vettel brincou. "O segredo deve ser o sábado à noite. Estou com sede, então acho que vamos beber um pouco".Falando mais seriamente, o ferrarista se colocou na briga pelo campeonato, com seis etapas para o final. "Se tivermos mais finais de semana como este,  sim. O que eles fazem não está na nossa mão, talvez possamos tornar o impossível possível. Vamos atacar ao máximo."

No seu segundo pódio do ano, o segundo colocado Ricciardo destacou o facto de ter aproveitado a oportunidade em uma corrida em que a Red Bull esperava ir bem. "Acho que Sebastian experimentou um pouco hoje. No primeiro stint, ele foi muito rápido, mas viu que eu cuidava melhor dos pneus. Depois ele mudou a táctica e controlou. O ritmo é bom e acho que foi muito representativo. Nós e a Ferrari fomos os mais rápidos. É bom capitalizar nossas chances, como fizemos em Budapeste", lembrou.

No primeiro pódio desde o GP do Bahrein, em Abril, Raikkonen destacou o terceiro lugar mesmo em um final de semana em que as coisas não correram como o esperado. "Esperamos que seja um sinal para o futuro. Tive dificuldades na classificação e fiquei surpreso em ser terceiro. Na corrida, não dava para fazer nada em relação ao ritmo dos dois da frente. Não é bom ter essas dificuldades, mas ter dias ruins e ainda terminar em terceiro é uma óptima notícia."A Fórmula 1 volta no próximo final de semana, no GP do Japão.

GP de Singapura
Massa alega problemas e abandona


Felipe Massa viveu mais um capítulo da sua habitual má sorte em Singapura. O brasileiro, que tem como melhor resultado no circuito o quinto lugar do ano passado, abandonou com problemas na sua Williams. Antes disso, o piloto estava em oitavo quando se chocou com Nico Hulkenberg, furando seu pneu e saindo da zona de pontuação. O alemão foi considerado culpado pela batida, e vai perder três posições no grelha de partida da próxima prova.Hulkenberg não se conformou com a pena. "Não entendo por que me puniram logo de cara e não ouviram as visões diferentes sobre o incidente. Vou falar com a equipa. Eu o vi saindo do box, mas depois eu sabia que estava na frente. E ele bateu em mim por trás."

Andando em 13º, Massa começou a ter problemas de câmbio em meados da prova. Após tentar resolver a falha por algumas voltas, abandonou. "Eu estava com um problema no câmbio. Quando a terceira e a quarta marcha entravam, ia para o ponto morto e tinha que começar tudo de novo", explicou o brasileiro à TV Globo.

Em determinado momento, Massa chegou a entrar no box para abandonar, mas voltou à pista. "Funcionou de novo e daí eu passei recto, mas depois o problema voltou", disse Massa.Com Raikkonen em terceiro e Bottas fechando em quinto, Massa caiu de quarto para sexto lugar no campeonato. O brasileiro seguiu com 97 pontos, contra 101 do companheiro e 107 do ferrarista.A corrida, contudo, não terminou de forma tranquila para Bottas. O piloto da Williams também teve problemas no câmbio e a equipa ainda não sabe se terá de trocar a peça para a próxima etapa. Caso isso aconteça, o finlandês seria punido.