Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sebastien Coe pretende comissão independente

15 de Agosto, 2015

O inglês Sebastien Coe, um dos candidatos à presidência da Federação Internacional de Atletismo (IAAF),

Fotografia: AFP

A uma semana do congresso eleitoral da IAAF, a 19 de Agosto, no qual Coe concorrerá com o ucraniano Sergei Bubka ao ‘cadeirão’ do organismo, o britânico defendeu que uma comissão independente seria um instrumento fundamental para a Agência Mundial Antidoping (AMA) e as federações associadas à IAAF.

“Para muitas federações, este [o doping] é um fardo enorme. Muitas vezes, implica processos morosos e onerosos”, avaliou o antigo atleta numa videoconferência.

O bicampeão olímpico dos 1.500 metros, nos Jogos de 1980, em Moscovo, e 1984, em Los Angeles, considerou que a opinião pública não está ainda consciente de todas as etapas que envolvem um processo de doping. “Vocês [jornalistas] não entendem, e com razão, a velocidade e dimensão de cada processo de doping, entre a recolha da amostra e uma eventual punição”, insistiu o candidato.

Em recentes reportagens do jornal inglês Sunday Times e do canal alemão ARD referia-se que as amostras sanguíneas de 800 atletas de topo apresentavam "valores suspeitos ou altamente suspeitos", sugerindo um processo generalizado de dopagem de grande amplitude. Nomeadamente, foi denunciado que no meio-fundo (800 metros a maratona) um terço dos medalhados olímpicos e mundiais entre 2001 e 2012 estaria nesse grupo, sem que no entanto qualquer nome fosse avançado.

A ARD e o Times basearam-se na análise de 12 mil exames sanguíneos naqueles 12 anos, envolvendo cinco mil atletas, que fazem parte de uma base de dados da IAAF.