Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sébastien Ogier vence na Austrália

16 de Setembro, 2013

Corredor francês quer festejar o título de campeão mundial no terreno de Sébastien Loeb com uma vitória

Fotografia: AFP

O francês Sébastien Ogier (Volkswagen Polo R) venceu ontem o rali da Austrália, mas com a frustração de ter ficado a um ponto da conquista do título, a três provas do final do campeonato do Mundo. Depois da Alemanha, onde abandonou, o piloto francês concluiu a 10ª das 13 provas do calendário à frente do belga Thierry Neuville (Ford Fiesta RS), que o impediu à última hora de se sagrar campeão do Mundo, graças a um furo do finlandês Mikko Hirvonen (Citroën DS3). O francês liderava com grande vantagem sobre Mikko Hirvonen e era virtual campeão do Mundo, mas o furo atrasou Mikko Hirvonen irremediavelmente e Thierry Neuville subiu à segunda posição, mudando as contas nos instantes finais.

“A alguns minutos do fim, eu era campeão do Mundo. Depois, aquele furto de Hirvonen mudou tudo. É frustrante, mas é assim. Mesmo sabendo que este cenário poderia acontecer, é um tanto irritante”, disse o piloto francês, de 29 anos, estimando que o título “já não pode escapar”. O belga Thierry Neuville somou os pontos suficientes para ter as hipóteses, embora meramente académicas, de lutar pelo título. Sébastien Ogier acumula 212 pontos e tem 83 de vantagem sobre Thierry Neuville, mas este ainda pode conquistar 84 pontos e sagrar-se campeão do Mundo, com base num improvável pressuposto.

“É preciso que Thierry ganhe os três últimos ralis da época (França, Espanha e Grã-Bretanha) e todas as 'power stages' e que eu não marque qualquer ponto. Eu sei que é talentoso, mas mesmo assim...”, ironizou o piloto francês, que terminou com 1,32 minutos de vantagem sobre Thierry Neuville depois de ter sido o mais rápido em 18 das 22 classificativas do rali australiano. O título está agora à distância de um ponto e pode ser festejado em casa, no Rali de França, na Alsácia, num fim-de-semana em que o seu compatriota Sébastien Loeb, nove vezes campeão do Mundo, vai fazer a sua despedida dos ralis, algo que traz uma preocupação extra a Sébastien Ogier.

“O meu objectivo é ganhar. Quero ser campeão do Mundo da melhor forma. A única coisa que me incomoda é que tenho a impressão de que me espera uma carga de trabalho suplementar. Será frustrante se Loeb ganhar o rali em que me torno campeão do Mundo. Penso não merecer isso”, confessou. Para o período de 3 a 6 de Outubro está marcado mais um episódio da rivalidade que se arrasta desde os tempos em que, ambos na Citroen, Sébastien Ogier era obrigado a respeitar as ordens da equipa, o que o levou a mudar-se para a Volkswagen. O “duelo” é na Alsácia, o terreno do “inimigo”.

FÓRMULA 1
Massa põe Alonso à frente de Schumacher


Após confirmar a saída da Ferrari no fim da actual época, o brasileiro Felipe Massa exaltou o seu companheiro de equipa Fernando Alonso, a quem classificou como “o piloto mais completo” que já teve numa equipa, em entrevista ao canal de televisão Sky Sports. Desde 2006 na Ferrari, Felipe Massa, que vai ser substituído pelo finlandês Kimi Raikkonen, também teve como parceiro o heptacampeão da categoria Michael Schumacher.“Sempre tive companheiros de equipa muito fortes, sempre aprendi que devo ser perfeito, pois se não fosse estariam à minha frente. É claro que tive momentos complicados. O que mais me fez sofrer foi o Alonso. Acho que é o mais completo”, analisou o brasileiro.

Na comparação directa entre Michael Schumacher e o espanhol, Felipe Massa manteve a sua opinião: “Schumacher foi muito, muito bom. Era fantástico e muito completo também. Mas acho Alonso ainda melhor.”Felipe Massa falou ainda sobre a sua carreira. Questionado se está satisfeito com o que atingiu na Fórmula 1, mostrou anseio por novas conquistas.“É impossível estar [satisfeito]. Se você fica feliz com tudo, pára. Então não estou feliz. Quero mais. Quero ganhar mais corridas, fazer mais pole positions. Quando não está feliz, é preciso tentar e esforçar-se para alcançar mais”, afirmou.Vice-campeão mundial em 2008, Felipe Massa é apontado a equipas como a Lotus e Sauber na próxima época da Fórmula 1.

EM SINGAPURA
Button e Pérez
apostam no historial


A McLaren-Mercedes não está bem na actual época de Fórmula 1. O Grande Prémio de Singapura do próximo fim-de-semana é a esperança da equipa para pontuar numa prova do mundial. O historial dos pilotos Jenson Button e Sergio Pérez no circuito de rua é positivo.Integrante de todas as grelhas de partida no país, Jenson Button foi o segundo colocado nos dois últimos anos. Mesmo a considerar difícil repetir o resultado no próximo domingo, o britânico mostra ansiedade antes de participar numa das suas provas preferidas.

“Lembro-me da primeira vez que corremos em Singapura (em 2008). Parecia incrível pensar que poderíamos realizar uma corrida de Fórmula 1 à noite. O GP de Singapura é uma das maravilhas do desporto moderno”, disse.Assim como o britânico, Sergio Pérez guarda boas recordações de Singapura. Nas duas vezes que correu no circuito, o mexicano cruzou a linha de chegada na zona de pontuação.

“Terminei nos pontos nas minhas duas visitas anteriores a Singapura. Depois da decepção de Monza (GP da Itália), terminar nos pontos no próximofim-de-semana vai ser claramente o meu objectivo”, revela.O piloto mexicano assegura que “Singapura é uma corrida imprevisível, porque é difícil para pilotos e máquinas”. No entanto, vai procurar obter o melhor e ver se tem um carro que pode andar muitas ondulações.
“Gosto de circuitos de rua, então, estou realmente ansioso”, disse.

MOTOGP
Lourenzo vence
em San Marin
o

O espanhol Jorge Lorenzo mostrou estar em boa fase e venceu ontem a sua segunda corrida consecutiva na MotoGP. O piloto dominou de ponta a ponta o Grande Prémio de San Marino, 13ª prova do campeonato. O piloto da Yamaha arrancou para uma vitória tranquila depois de ultrapassar na largada o espanhol Marc Márquez, da Honda.O resultado fez com que Jorge Lorenzo assumisse a vice-liderança do campeonato, com 219 pontos, e entrou de vez na luta pelo título. A liderança continua com Marc Márquez, que foi o segundo colocado, após ter conquistado a “pole position”. O espanhol, de 20 anos, tem 253 pontos.

O espanhol Dani Pedrosa, piloto da Honda, que foi ultrapassado pelo seu companheiro de equipa, Marc Márquez, nas voltas finais da prova, terminou em terceiro lugar, a mesma posição que ocupa no campeonato. Dani Pedrosa chegou aos mesmos 219 pontos de Jorge Lorenzo, mas leva desvantagem por ter três vitórias a menos que o rival da Yamaha.A prova de ontem teve emoção na largada, na qual Jorge Lorenzo e Dani Pedrosa aproveitaram a desatenção de Marc Márquez para ultrapassá-lo. Aleix Espargaró também saiu bem e conseguiu pular para a frente do heptacampeão Valentino Rossi.