Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco apresentada ao pblico

Rosa Napoleo - 30 de Maio, 2013

A seleco nacional vai competir na cidade de Kiev

Fotografia: Jornal dos Desportos

As atletas seleccionadas para representar o país no Campeonato do Mundo de Ginástica Rítmica, a decorrer de 23 de Agosto a 2 de Setembro, na cidade de Kiev, Ucrânia, foram apresentadas na terça-feira em conferência de imprensa pela Federação Angolana de Ginástica.

As ginastas são: Ana Dissila Mpanzo, Milka Kodjo, Nkumba Suzana, Yolanda Gaspar (Petro de Luanda); Ana Ferreira (Agefir), Alice Tomás, Jandira Henriques, Sofia Higino (Nacional de Benguela) e Beniude Panguleipo (Huíla).

A equipa técnica é composta por Semba Tango (treinador principal) e Elsa Lialunga (fisioterapeuta). Rubens de Carvalho é o chefe da delegação.

No acto que decorreu na sala de reuniões do Comité Paralímpico Angolano, à Cidadela Desportiva, Auxílio Jacob, presidente da Federação Angolana de Ginástica, falou dos planos elaborados para a preparação da selecção.

“Temos tudo alinhavado para uma preparação condigna da selecção nacional, tendo em conta o nível da competição. Esta programação passa por vários estágios no exterior, mais concretamente na Rússia e em Portugal”, disse.

O dirigente desportivo assegurou que Angola não vai ao Mundial para passear, mas para mostrar ao mundo que também tem capacidades de fazer frente a outras selecções da elite internacional.

“Temos pouco tempo de existência, mas atingimos um nível que podemos considerar de bom. Vamos para esta competição cientes das nossas responsabilidades.

Temos muito tempo para a preparação e estamos a investir nos estágios no exterior com o objectivo de colocar os atletas em contacto com os instrumentos e tecnologias que são obviamente usados na competição”, referiu.

“As duas atletas de ginástica rítmica, Nkumba Suzana e Ana Mpanzo, que vão competir na classe individual, partem para a Rússia no dia 20 de Junho, para um estágio com as selecções locais.

Os restantes membros do grupo seguem depois viagem para Portugal, onde vão permanecer em estágio até finais de Julho”, disse o dirigente.No final do acto de apresentação, as atletas receberam as recomendações do presidente da federação, que relembrou a importância do acontecimento para o país e para a modalidade.

“As meninas devem ter em conta que não vamos lá para brincar; é uma competição séria que vai requerer de vocês muita responsabilidade”, disse.
Os testes médicos são realizados no decorrer desta semana.

AUXÌLIO JACOB
Rigor é a chave do sucesso nacional


A ginástica é um dos poucos desportos que evoluiu muito num curto intervalo de tempo, desde a sua criação no país. A provar estão as inúmeras medalhas que conquistou na esfera internacional, onde se destacam as 17 alcançadas no campeonato de Walvis Bay, na Namíbia.


Para o presidente da federação, Auxílio Jacob, a chave do sucesso da modalidade reside no árduo trabalho que os treinadores fazem, orientados pela direcção técnica federativa.

“Desde o início do nosso primeiro mandato, primámos sempre pela boa formação dos treinadores para que estes pudessem garantir atletas de qualidade.

E os resultados têm sido satisfatórios. Neste momento, podemos contar com atletas profissionais que nos garantem resultados bons em provas internacionais”, referiu.

O dirigente desportivo disse também que é importante velar pelas condições de trabalho dos próprios clubes, no que toca aos materiais de treino.


OBJECTIVOS   
Angola compete para ganhar experiência


Auxílio Jacob, presidente da Federação Angolana de Ginástica, reconheceu terça-feira em conferência de imprensa as presumíveis dificuldades que a selecção angolana de ginástica rítmica pode encontrar na sua primeira participação no campeonato do mundo.

Auxílio Jacob disse que “não se pode ser utópico”.“É a primeira participação do país e a falta da experiência pode pesar um pouco. A modalidade tem várias participações em campeonatos africanos e zonais internacionais que transmitiram alguma bagagem às atletas.

Só queremos representar da melhor maneira possível e alcançar o lugar que merecido”, disse.O contacto com as selecções da Rússia e de Portugal durante o período de preparação são apontados pelo presidente como bases para a adaptação das atletas.

“As ginastas vão realizar inúmeras competições nesses países que vão servir de gancho para adaptação nas grandes competições.”


FINANCIAMENTO
ESTÁ GARANTIDO


As condições para a participação da selecção nacional na prova mundial de Kiev estão criadas, de acordo com Auxílio Jacob. O dirigente referiu que o Ministério da Juventude e Desportos disponibilizou as verbas para as despesas da delegação.

“Felizmente, efectuámos os pagamentos de todas as despesas inerentes à prova. Estou a falar das taxas de participação, alojamento, despesas da estada da selecção na Rússia e Portugal, enquanto durar o período de preparação”, disse.

Auxílio Jacob ressaltou que “os outros pressupostos aguardam apenas a hora certa, como é o caso dos bilhetes de passagem e os vistos”.O dirigente desportivo revelou que a ginástica não depende unicamente da ajuda do Ministério da Juventude e Desportos, mas procura junto de outras individualidades particulares arrecadar alguma ajuda, que tem sido benéfica para satisfação das necessidades da ginástica. 

“Além das verbas que recebemos do Minjud, a Federação também bateu a algumas portas que prontamente se disponibilizaram em ajudar nas despesas da competição.”