Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Selecção do Brasil disputa torneio em Luanda

Silva Cacuti - 09 de Janeiro, 2015

Selecção do Brasil disputa torneio em Luanda

Fotografia: Jornal dos Desportos

A selecção sénior feminina de andebol do Brasil, campeã mundial, orientada pelo dinamarquês Morten Soubak, vem a Luanda no final de Fevereiro para disputar um torneio em que participam também as selecções nacionais de Angola e da Coreia do Sul, revelou ao Jornal dos Desportos, Pedro Godinho, presidente de direcção da Federação Angolana de Andebol (Faand). O torneio pode ser disputado entre dos dias 26, 27 e 28.

De acordo com o responsável, o torneio está inserido na preparação da selecção nacional que em Março disputa, em Luanda, o torneio pré-olímpico, em que participam as selecções da Tunísia, Argélia e RDC.

Godinho revelou ainda que na prova Angola pode ser representada por duas selecções, já que há intenção de fazer actuar a base de cerca de 30 atletas que estão catalogadas pelo seleccionador nacional João Florêncio.

O convite de Angola às equipas do Brasil e da Coreia do sul surge em retribuição aos anteriores convites feitos pelas federações daqueles países ao conjunto angolano.

Angola jogou o último torneio das quatro nações na Coreia do Sul em Maio de 2013, quando deu início à preparação para o campeonato do mundo da Sérvia disputado naquele ano. No referido torneio Angola perdeu para as coreanas por 20-27. Angola jogou antes, em 2009, outro torneio na Coreia do Sul. O último jogo em campeonatos entre as duas equipas foi no mundial de 2011, em que Angola venceu por 30-29.

No Brasil a selecção nacional esteve em Julho de 2013, para disputar o torneio da amizade. O conjunto nacional e brasileiro estiveram juntos no estágio na Hungria, com vista o campeonato do mundo da Sérvia e além dum treino conjunto disputaram uma partida.

Como apuramos, o seleccionador nacional chega a Luanda  a 18 de Janeiro e assiste, em Benguela, aos nacionais juniores de andebol. Logo depois divulga a convocatória para o torneio e dá início à preparação.


Nacional
Petro do Huambo
estabelece metas


A equipa juvenil masculina do Petro do Huambo tem como objectivo passar à segunda fase do campeonato nacional, que decorre desde quarta-feira na cidade do Lubango, Huíla. De acordo com   José Chimbuenjo, responsável da equipa, depois de dois campeonatos ausentes, é razoável pretender passar da fase de grupos.

A equipa está inserida numa série difícil, a A, onde pontificam o 1º de Agosto e o Kabuscorp do Palanca, campeão  e vice campeão de Luanda. A equipa teve um arranque de campeonato auspicioso ao surpreender o Kabuscorp do Palanca por 29-27. Na segunda jornada, disputada ontem, os comandados de José Chimbuenjo não tiveram arte para repetir a proeza. A equipa perdeu por expressivos 33-13, com o 1º de Agosto.

“Sabíamos que o nosso adversário era muito forte, então preferimos não esforçar muito alguns dos nossos  principais atletas, porque temos pela frente jogos que vão ser decisivos para o nosso objectivo”, disse.

Obrigado a fazer papel de treinador, massagista, dirigente e até médico da equipa, José Chimbuenjo agradece a solidariedade que tem sido demonstrada da parte dos técnicos das equipas adversárias.

“Não sei o que se passou, outros membros da equipa deviam chegar, mas não chegaram estou sozinho e  vejo-me  na contingência de, enquanto oriento tecnicamente o jogo, tenho de atender a situações de contusões, tenho recebido muita solidariedade do pessoal especializado das outras equipas”, disse.

A equipa do Huambo apurou-se para o campeonato nacional após vencer o campeonato provincial que contou com a participação de quatro equipas.
Silva Cacuti

 

PEDRO GODINHO
Federação acautela idades na prova


A questão das idades nos escalões de formação tem sido recorrentemente chamada à abordagem, quando se chega à realização de um campeonato nacional. Para os XXXV campeonatos nacionais de andebol em  juvenis, que decorrem na cidade do Lubango, a Federação Angolana de Andebol (Faand)esteve atenta no sentido de desencorajar a prática.

Conforme Pedro Godinho, presidente de direcção da Faand, a instituição decidiu aceitar apenas inscrições feitas com documentos originais e rejeitar o uso de cópias no processo de inscrições.

“É o que esteve ao nosso alcance e podíamos fazer. Se depois disso surgirem casos suspeitos, então vamos castigar as Associações implicadas, mas em princípio pensamos que não devem surgir situações neste âmbito”, disse.

Pedro Godinho procedeu à abertura da prova e após observar alguns jogos da primeira jornada, fez uma avaliação do que pode ser a prova, em termos técnicos.

Para o responsável, é evidente pelo número de participantes, 30 equipas, de dez, das 12 províncias inscritas, apesar do estabelecimento de quotas de participação por cada província mostra, que o andebol é a modalidade que mais adesão tem, nos escalões de formação.

“O que pude observar faz antever um campeonato mais equilibrado, tecnicamente no sector masculino que no sector feminino. Pude ver com agrado as equipas do Inter da Huíla, de Benguela, os 11 Bravos do Maquis e as equipas da Lunda Sul penso que estão num bom nível e a lutar pelo  título não vai ficar resumido a equipas de duas províncias, como no sector feminino, onde penso que ainda vamos ter o 1º de Agosto, ASA, Petro e equipas de Benguela a tentarem vencer a prova.

Pedro Godinho defendeu que o sistema de disputa em que se apuram para a outra fase as duas primeiras equipas de cada série e a melhor terceira salvaguarda as melhores equipas.

O campeonato nacional em juvenis  está a ser disputado por 16 equipas femininas e 14 masculinas. O Asa é campeão em título em juvenis feminino, enquanto o 1º de Agosto detém o título masculino.
S.C