Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco embarca para Nambia

lvaro Alexandre - 23 de Maio, 2013

A delegao do boxe nacional integrada por 22 membros tem como chefe da misso o secretrio-geral da Federao Angolana

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional de sénior masculino de boxe embarca hoje, para a cidade de Oshikango, República da Namíbia, com objectivo de participar de 24 a 25 do corrente mês, no Bennies Park-Ongwediwa, no Torneio Internacional de Amizade.

A delegação angolana deixa a capital do país nas primeiras horas do dia, em voo directo da TAAG até Onjiva, capital do Cunene, onde vão partir de transporte terrestre até à região de Oshikango.

O torneio amigável enquadra-se no intercâmbio entre os dois países no domínio do boxe, à luz do protocolo bilateral assinado pela Federação Angolana de Boxe e a sua congénere da Namíbia.

A delegação do boxe nacional é integrada por 22 membros  tem como chefe da missão o secretário-geral da Federação Angolana de Boxe (FABOXE), Albino Fernando. Para além do dirigente federativo, o seleccionador nacional, Eugénio Gourgel, também técnico do Electro do Lobito, vai orientar 20 pugilistas.

Para “Operação Oshikango” foram seleccionados os atletas Victor Adriano  (49 kg), Vivaldo dos Santos (52 kg),  Kilombo Massala (54 kg), Manuel Victor André  (60 kg), Enriques Lando (64 kg), Vidal António Raimundo Gaieta (75 kg), Afonso Carlos Manuel Ibarrondo (69 kg), Morais Quarta (81 kg), Tumba Silva (91 kg), Manduku Simão (+ 91 kg),  Nicolau Daniel (52 kg), Inocêncio Marques (56 kg), Carlos Manuel Zimbo (60 kg), Fundo Lussala Nina (64 kg), Zingue Lando Matuki (69 kg), Daniel Beta (81 kg), António Bofila (+91 kg), Domingos Kiala (75 kg ), Walter de Jesus da Silva Paulo (64 kg) e Miguel Kembo (49 kg ).
ÁLVARO ALEXANDRE


Na Namíbia
Carlos Luís define objectivos

O presidente da Federação Angolana de Boxe, Carlos Luís, disse ao Jornal dos Desportos que o objectivo da selecção nacional no torneio amigável com a Namíbia visa aperfeiçoar os níveis desportivos dos pugilistas nacionais. “O encontro com a Namíbia tem como finalidade dar maior rodagem aos pugilistas nacionais, porque estão com um déficit de competições”, disse.

Carlos Luís assegurou que o grupo realizou apenas duas ou três provas internas e nenhuma internacional. Para o efeito, o torneio serve de estágio pré-competitivo, em função da participação de Angola no Zonal de Botswana, a decorrer de 11 a 16 do próximo mês, na cidade de Gaberone.

“A preocupação da federação é engajá-los neste tipo de competição com o pensamento direccionado no Zonal de Botswana”, justificou. O sonho do resgate da hegemonia das categorias de pesos pesados e super-pesado na zona austral continua activo.

“Temos de recuperar a hegemonia das medalhas de ouro nas categorias de pesos pesados e super pesados. Estamos a trabalhar para que em 2014, o boxe angolano possa estremecer com propriedade os ringues e pavilhões internacionais”, lançou o desafio Carlos Luís.
ÁLVARO ALEXANDRE