Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco nacional enfrenta dificuldades

Gaudncio Hamelay | no Lubango - 29 de Junho, 2019

O gestor preferiu a abertura para que todos os agentes tenham acesso e participao no desenvolvimento do taekwond.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A falta de alocação de verbas nas contas da Federação Angolana de Taekwondó inviabiliza a preparação condigna da selecção nacional, visando a participação dos Jogos Africanos de 19 a 25 de Agosto, em Rabat, Marrocos. A constatação é de Salomão Lumbo \"Flash\", presidente da instituição reitora do país.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Salomão Lumbo assegurou que as dificuldades se circunscrevem na falta de aquisição de meios de apoios e de pagamento de alojamentos para os atletas pré-seleccionados.
\"Estamos a trabalhar com uma selecção dividida por falta de dinheiro. Os atletas da Huíla pré-seleccionados continuam a treinar nos seus clubes, no Lubango, quando nessa fase deviam juntar-se aos de Luanda para ajustar os diferentes diagramas de preparação\", disse.
O dirigente sustentou que a selecção nacional trabalha \"em meio a muitas dificuldades\" e os atletas dependem do programa do seleccionador nacional. Contudo, manifesta a esperança de uma boa participação.
“É pretensão do taekwondó angolano chegar sempre ao pódio de qualquer torneio. Então, vamos com esse espírito e vontade. Os nossos atletas também abraçaram a causa. Mesmo com dificuldades na preparação interna, creio que vamos chegar ao pódio\", disse.
Salomão Lumbo esclareceu que leva a Rabat cinco atletas masculinos e uma feminina, afectos aos clubes 1º de Agosto, Makila Team e das escolas da província da Huila.
“A redução de atletas está ligada a dificuldades financeiras que afectam a gestão da Federação Angolana de Taekwondó. Até hoje, ainda não recebemis qualquer dotação financeira. Por isso, decidimos convocar e preparar os atletas que garantem a obtenção de medalhas na competição”, justificou.
Salomão Lumbo chegou ao cadeirão máximo da Federação Angolana em Maio último e procura estabelecer uma gestão transparente e abragente. O gestor preferiu a abertura para que todos os agentes tenham acesso e participação no desenvolvimento do taekwondó.