Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco nacional finaliza estgio

Silova Cacuti - 19 de Janeiro, 2016

O conjunto nacional angolano projecta no Africano do Egipto a melhoria do quarto lugar obtido na ltima edio e a qualificao para o prximo Campeonato do Mundo

Fotografia: Jos Cola

A mudança de unidade hoteleira, marca hoje  o fim do estágio que a Selecção Nacional sénior masculina de andebol realiza no Cairo, com vista o 22º Campeonato Africano das Nações que se disputa naquela cidade a partir de quinta-feira,  dia 21. A selecção deixa o hotel onde esteve às expensas da Federação Angolana de Andebol e muda-se para o hotel reservado pela organização.

 A equipa venceu no domingo, o Heliopolis do Cairo, por 32-29, no último jogo no âmbito do estágio. Durante o estágio, Angola realizou quatro jogos,  perdeu o primeiro com o Al Ahly (27-28) e venceu a selecção júnior do Egipto (28-26) e o Al Gezira (31-16).

Hoje volta aos treinos, para trabalhar na consolidação dos princípios de jogo definidos por Filipe Cruz, como estratégia a adoptar na competição. O seleccionador ambiciona  uma equipa cujo perfil de jogo que assente numa defesa forte e desenvolta, para tirar maior proveito das transições ofensivas.

A selecção nacional, segundo o seleccionador, deve estar apta a explorar o contra ataque,  manter a posse de bola para encontar zonas de finalização com maior tranquilidade.

Amanhã, é dia para o reconhecimento dos locais, de disputa do campeonato. O treino do período da manhã vai ser no piso do pavilhão principal do complexo Cairo Stadium; enquanto a sessão vespertina de "reconhecimento" pode ser no pavilhão II do Cairo Stadium.

No campeonato africano, Angola vai tentar a melhoria do quarto lugar obtido na última edição e está inserida no grupo B,  com as formações da Tunísia, Líbia, República Democrática do Congo, Quénia e República do Congo.

Na primeira jornada, a 21 de Janeiro, os pupilos de Filipe Cruz defrontam o Quénia, equipa que marca a segunda presença num campeonato do género, desde 2004.

Na segunda jornada, 22 de Janeiro, a equipa defronta a similar da Líbia, que foi última classificada na prova disputada em Argel, em 2014. No dia seguinte a selecção nacional vai precisar de mais esforço, porque vai ter pela frente a similar da República do Congo, sétima da tabela geral da última prova.

No dia 25 defronta a RDC, outra equipa do meio da tabela. Depois deste percurso, a selecção nacional defronta a candidata Tunísia, a 26 de Janeiro, no encerramento da fase de grupos.

RÚSSIA
Presidente da Federação
optimista para o Rio’2016


O novo presidente da Federação Russa de atletismo, Dmitri Chliakhtine, considerou ontem que há 50 por cento  de possibilidades dos atletas do país disputarem os Jogos Olímpicos do Rio-2016, após a entidade ser suspensa devido a um esquema de doping organizado. "Acredito, que actualmente temos 50 por cento de possibilidades de ir aos Jogos. Temos de dar o melhor de nós, para aumentar essas possibilidades a cada dia", declarou Chliakhtine ,em entrevista ao jornal russo, Sport Express.

"No momento, estamos pressionados, enquanto a Federação Internacional de Atletismo (IAAF) espera medidas drásticas e difíceis, desde que isso seja possível", completou. Chliakhtine, que até então era director desportivo da região de Samara, no centro da Rússia, foi eleito no sábado novo presidente da Federação, com o objectivo de acabar com a crise no atletismo russo, com a iminente ameaça de exclusão dos próximos Jogos Olímpicos.

"Em Março, temos que prestar contas ao conselho da IAAF. Temos de convencê-lo de que o atletismo russo realizou mudanças revolucionárias", declarou e afirmou que "existam dúvidas na capacidade de  mudar-se hábitos em algumas semanas". Chliakhtine era o candidato apoiado pelo ministro do desporto, Vitali Moutko, que o chamou de "presidente anti - crise".

O seu antecessor, Valentin Balakhnitchev, pediu demissão em Dezembro, após a publicação do relatório da Agência Mundial Antidoping (Wada), no qual foi desvendado um esquema de "doping organizado" no atletismo russo. Balakhnitchev foi banido do atletismo pela IAAF. A IAAF também suspendeu a Rússia de qualquer competição de atletismo, abre as portas para uma possível ausência do país nos próximos Jogos Olímpicos.