Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleccionador quer mais eficácia

Melo Clemente - 18 de Junho, 2017

Data do embarque da Selecção Nacional para o palco do Campeonato do Mundo de Sub-19 continua indefinida

Fotografia: M.Machangongo| Edições Novembro

A falta de eficácia, quer nos lançamentos a curta, quer a longa distância, da Pré-Selecção Nacional masculina de Sub-19 que projecta a sua participação na fase final do Campeonato do Mundo da categoria, prova a decorrer de 01 a 9 de Julho próximo, na cidade de Cairo, capital política do Egipto, está a preocupar o seleccionador nacional, Raul Fragoso Ferreira Duarte.

O comandante dos Sub-19 teceu estas considerações na última sexta-feira, no Pavilhão Anexo número dois da Cidadela Desportiva, logo após a derrota da sua rapaziada, diante do Grupo Desportivo Interclube, por 51-57, partida enquadrada no âmbito da sua preparação, visando a disputa da fase final do Campeonato do Mundo da "bola ao cesto", competição que vai decorrer pela primeira vez no continente africano.

A Pré-Selecção Nacional efectuou já três jogos de controlo até aqui, tendo somado igual número de derrotas. Diante do Misto do Kilamba, a Pré-Selecção Nacional perdeu, por 64-71, ao passo que frente a Marinha baqueou por 62-74.

Apesar dos resultados não estarem em causa, dado que o objectivo da equipa técnica passa pela criação de um grupo altamente competitivo, o seleccionador nacional mostrou-se satisfeito com a entrega dos pré-convocados.

"Uma equipa que na primeira parte lançou 12 bolas de três pontos e 11 de dois, devíamos ter lançado 22 bolas de dois ou 25 bolas e, nove ou oito de três, portanto, invertemos completamente as coisas na primeira parte, apesar de, é importante frisar, que grande parte dos lançamentos de três pontos que tivemos foram situações limpas, claras, os jogadores apareciam equilibrados e lançavam. Apesar de estarmos a evocar o equilíbrio entre lançar dos dois e dois três, as decisões foram acertadas, agora, é o problema da eficácia, portanto, não fomos eficazes e temos de ser eficazes, porque se continuarmos assim as equipas vão defender-nos cada vez mais fechados, impedindo as penetrações e vão nos obrigar a lançar dos três. Temos que ser mais intensos na defesa mas, também maior intensidade nas transições defesa ataque e escolhermos as melhores decisões. Os postes também já estão a atacar o cesto, um factor que é extremamente fundamental ".

O défice de jogos está a preocupar igualmente o seleccionador nacional que conta já com a maior parte dos atletas que militam no exterior, exceptuando o extremo poste Bruno Fernando, que actua no IMG Academy dos Estados Unidos da América.
O campeão africano de Sub-16 e Sub-19, respectivamente, está atarefado com os exames finais, segundo apurou o Jornal dos Desportos junto de uma fonte federativa.

 "Existe um problema de défice de jogos, é um problema de rotina de treinos que tem que ser consolidada, quer nos clubes, quer nas selecções nacionais. Acho que a jogadores que poderiam render mais do que estão a render, e vamos esperar que o mais rapidamente possível isso ocorra.

Portanto, a jogadores que ainda não estão felizes, não estão alegres e nós precisamos de transmitir-lhes alegria, intensidade, para que lhes possam na verdade contribuir com coisas em equipa, ou seja, eles não podem ter receio de receber um bloqueio directo e ao invés de atacar o cesto, driblam para a lateral, portanto, eles têm que ser ofensivos", desabafou o seleccionador nacional.

Entretanto, Melvyn da Silva, do Ja Vich Clermont Métropole de França, já se juntou ao grupo na última quinta-feira, para a alegria do seleccionador nacional que desta forma vai observa-lo de forma objectiva. Délcio Sebastião e Jilson Bango, ambos do 1º de Agosto, foram os primeiros a ser preteridos pelo técnico Raúl Fragoso Ferreira Duarte.

A Selecção Nacional vai disputar a fase preliminar do Campeonato do Mundo de Sub-19, ao lado das selecções dos Estados Unidos da América, actual campeão em título, Itália e Irão, respectivamente. Os angolanos enfrentam na estreia, a similar da Itália.  No Grupo A estão as selecções da Argentina, Nova Zelândia, Coreia e França. Alemanha, Egipto, país anfitrião, Porto Rico e Lituânia fazem parte do Grupo B, ao passo que Canadá Japão, Espanha e Mali, outro representante africano, figuram no Grupo C.

Eis a lista completa da Pré-Selecção Nacional de sub-19: Childe Dundão, Cley Cabango e Cristiano Xavier, todos do Atlético Petróleos de Luanda, Milton Valente e Tárcio Domingos, 1º de Agosto, Jonatão Ndjungu, Grupo Desportivo Interclube, Glofate Buiamba, Atlético Sport Aviação (ASA), Geraldo Santos, Futebol Clube Vila Clotilde, Sílvio Sousa e Bruno Fernando, ambos do IMG Academy dos Estados Unidos da América, Valdir Manuel, do The dos Estados Unidos da América, Levy Miguel, Casper College dos Estados Unidos Patrick School dos Estados Unidos da América, Eric Amândio e Rifen Miguel, ambos do West Oaks Academy da América, Celton Migeul (Estados Unidos) e Melvyn da Silva, do Ja Vich Clermont Métropole de França.


Mundial do Egipto
Childe Dundão almeja figurar entre os doze


O base do Atlético Petróleos de Luanda e da Pré-seleccão Nacional de Sub-19, Childe Dundão, quer figurar entre os doze atletas que vão representar as cores da bandeira do país, durante a fase final do Campeonato do Mundo da categoria, competição a decorrer de 01 a 9 de Julho próximo, no Cairo, capital política do Egipto.

Dundão que capitaneou a Selecção Nacional que conquistou no Rwanda o Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, na categoria de Sub-18, mereceu a confiança do seleccionador nacional, Raul Fragoso Ferreira Duarte, para a "operação" Cairo.

Depois de ter falhado o Campeonato do Mundo de Sub-17, prova disputada no Dubai, por opção técnica, o jovem jogador almeja lutar por um dos lugares entre os doze.

"Pra mim foi motivo de grande satisfação fazer parte desta pré-selecção. Tenho estado a trabalhar de forma árdua no sentido de poder constar na lista dos doze jogadores que vão representar o país no campeonato do mundo do Egipto", revelou o jovem jogador que foi um dos destaques da formação do Atlético Petróleos de Luanda na recém terminada época desportiva, em que o Recreativo do Libolo venceu todas as provas nacionais.

Childe Dundão enalteceu por outro lado, a concorrência na posição um (base), onde existem jogadores de grande qualidade.

"Penso que os bases todos que foram convocados para esta competição estão em condições de disputar um lugar. Agora, o trabalho de cada um de nós é que vai acabar por ser determinante na escola do seleccionador nacional. Acredito que a concorrência é sempre salutar, porque nos obriga a trabalhar cada vez mais e melhor", reconheceu o base da formação tricolor.

Quem também quer estar entre os doze que vão para o Campeonato do Mundo é o jovem Melvyn da Silva, do Ja Vich Clermont Métropole de França, atleta que nasceu em França, filho de pai angolano.

O extremo poste chegou na quinta-feira ao meio dia e, no período da tarde, juntou-se ao grupo de trabalho, liderado por Raul Fragoso Ferreira Duarte.
"Fui muito bem recebido pelo grupo de trabalho. É a primeira vez que venho a Angola e naturalmente que o meu sonho passa em representar as cores do país no campeonato do mundo do Egipto. Estou consciente das dificuldades, em função da qualidade dos jogadores convocados mas, tudo farei para merecer a confiança do seleccionador nacional", disse Melvyn da Silva.