Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleces nacionais competem na Nambia

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 04 de Junho, 2014

As Selecções Nacionais de xadrez, em ambos os sexos, competem de 22 a 30 deste mês, em Windhoek,  no Zonal Africano 4.3 do desenvolvimento da modalidade em África. Pedro Manuel, secretário executivo da Federação Angolana de Xadrez, assegurou que Angola vai estar representada nesta competição com dez xadrezistas, cinco da classe masculina e igual número na classe feminina, esta composta por juvenis.

 O objectivo da participação de Angola na prova, garantiu Pedro Manuel, passa por conquistar títulos de mestre internacional e mestre Fide, pois "estamos um tanto ou quanto carentes neste sector que temos poucos títulos. Já neste mês vamos participar no Zonal 4.3 do desenvolvimento do xadrez em África que vai decorrer em Windhoek na Namíbia.

Para tal, temos preparadas as Selecções masculina e feminina compostas por cinco atletas de cada classe num total de dez xadrezistas. Então, a partir do dia 21 do corrente mês, as selecções viajam para o palco da competição", disse. No concernente à preparação específica dos xadrezistas para a prova, o responsável anunciou que ao longo desta semana vai desembarcar em Luanda o campeão francês, o grande mestre Vladislav Tkachiev para dirigir a Selecção Nacional nessa deslocação à Namíbia. 

 Acrescentou que o campeão francês Vladislav Tkachiev vai igualmente treinar a Selecção Nacional, em ambos os sexos, que vai participar no próximo mês de Agosto na 39ª olimpíada mundial de xadrez, a decorrer na Noruega. Pedro Manuel afirmou que Angola encontra-se neste momento na 98ª posição a nível do ranking mundial.

Exemplificou que no zonal B terminado recentemente no Lubango, os 28 xadrezistas participantes, só um, tem o elo internacional activo. De acordo com o responsável, Angola só agora adoptou o sistema de lançar todos os torneios, campeonatos nacionais e provinciais para Federação Internacional de Xadrez. “Pusemos de parte a qualificação nacional.

De um tempo à está parte, classificávamos os jogadores somente a nível nacional e só conseguia o elo internacional aqueles que fossem participar em provas no exterior. Mas hoje, isso já não se verifica”, aclarou. Afirmou que os resultados alcançados pelos xadrezistas durante a disputa do campeonato nacional individual absoluto zonal B, que a cidade do Lubango albergou muito recentemente, foram lançados na internet através do programa Swiss-Manger.

Sustentou que a FIDE vai efectuar a classificação dos torneios do zonal B, A e do campeonato nacional realizado em Saurimo e outras competições programadas pela Federação angolana de xadrez. “Vamos ver até ao próximo mês de Dezembro, Angola pode subir mais alguns degraus a nível do contexto xadrezístico mundial, porque vai aparecer muitos jogadores com elo internacional.  Existem  xadrezistas que têm o elo internacional, mas está cativo”, asseverou.

ANGOLA SEM
TREINADORES

 O secretário executivo da Federação Angolana de Xadrez admitiu recentemente no Lubango que o país tem falta de treinadores qualificados para desenvolver sem sobressalto a modalidade. Pedro Manuel afirmou que devido a esta situação, o órgão reitor da modalidade no país mandou vir o grande mestre Vladislav Tkachiev para trabalhar com as selecções masculina e feminina.

Em Julho, vem ao país o mestre FIDE Russo, Timeriz, que já esteve em Angola no princípio do ano passado a trabalhar com as camadas infanto-juvenis. “Em termos de formação, temos pouco ou quase nada neste capítulo, porque não temos treinadores qualificados. Por isso, é que mandamos vir o grande mestre Vladislav Tkachiev, que vai trabalhar com as selecções masculina e feminina. Também no próximo mês, vem o mestre FIDE Russo, que já esteve em Angola no ano passado”, confessou.

REVELAÇÃO
FAX reconhece crescimento

O desporto ciência registou no país nos últimos dois anos, um crescimento significativo a nível de número de praticantes e Associações. A constatação é do secretário executivo da Federação Angolana de Xadrez (FAX), que esteve no Lubango, no âmbito da realização do Campeonato Nacional Individual Absoluto do Zonal B.

Pedro Manuel justificou que o xadrez em Angola está a dar passos significativos, pois em anos anteriores, a modalidade registava uma certa letargia.
"Hoje em dia, podemos ver a Huíla a desenvolver a modalidade muito bem, depois de ter passado por um período mau. Chegamos a um ponto, em que na Huíla não havia a Associação provincial. Hoje, está a organizar um nacional de zonal B, com um nível organizativo brilhante como podemos observar”, lembrou.

De acordo com Pedro Manuel “isto é um exemplo típico” do crescimento do desporto ciência a nível nacional. Ressaltou que a exemplo da Huíla, vêm as províncias da Lunda Sul e Uíge que andaram igualmente num período letárgico e nos dias de hoje estão  a sobressair. O responsável informou que no cômputo geral, o xadrez já é jogado e praticado a nível de todo o território nacional.

"A Federação fez um balanço em relação a 2012. E em 2013, podemos caracterizar que houve um crescimento de forma significativa quer a nível dos participantes, Associações provinciais e outros. Então, o balanço do xadrez é de crescimento”, aclarou. No tocante a classe feminina, Pedro Manuel, explicou que a nível nacional, actualmente desenvolve-se um trabalho de massificação direccionado para este sector.

Avançou que existe um sinal mais para a província de Luanda por possuir a escola  Macovi que é a pioneira na massificação do desporto ciência nos escalões  infanto-juvenis. Salientou que a escola Macovi é a base da Selecção Nacional de sénior. "Na Huíla, sabemos que também estão a massificar jogadoras, assim como nas províncias da Lunda Sul, Malanje e Uíge. Então, aos poucos este 'perfume', vai  espalhar-se a nível das províncias de Angola”, reconheceu.
Gaudêncio Hamelay- Lubango

AQUISICÃO
Federação aposta
na massificação


A Federação Angolana de Xadrez (FAX) vai no segundo semestre deste ano, efectuar a compra de material para a modalidade, sobretudo, jogos, cartilhas e tabuleiros murais para se realizar um programa de massificação completo a nível do país. O secretário executivo da Federação Angolana de Xadrez, Pedro Manuel, que anunciou o facto no Lubango, afirmou que pretende-se com isso, apetrechar as Associações provinciais de equipamentos para massificação.

 "A Federação tem acautelada a situação de falta de material nas províncias, porque para haver massificação, tem de existir material desportivo, sobretudo, jogos, cartilhas, tabuleiros murais para que se faça o programa de massificação completo. Por isso, está em carteira para o segundo semestre deste ano, a compra de material para a massificação. Isto já está delineado", anunciou.

 O dirigente federativo disse estar à espera apenas da execução, o que pode acontecer até ao próximo mês de Agosto. "A partir daí, a Federação vai apetrechar as Associações provinciais com equipamento para a massificação. Então o problema da falta de material nas provinciais pode estar ultrapassado", relevou.
G.A