Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seleco Nacionalocupa segundo lugar

Melo Clemente - 13 de Agosto, 2017

A Seleco Nacional de basquetebol feminina de Sub-16 conquistou a medalha de prata,

Fotografia: Jornal dos Desportos

Depois de ter vergado nas meias-finais a forte selecção do Egipto, por claros 59-42, carimbando deste modo o passe de acesso à fase final do Campeonato do Mundo de Sub-17 de 2018, prova a decorrer em Minsk, Bielorrússia, a Selecção Nacional não foi capaz de suplantar a toda poderosa selecção do Mali, perdendo de forma copiosa, por 29-68.

As penta campeãs africanas venceram no parcial, por 16-11, 17-4, 21-7 e 14-7, respectivamente, fixando o resultado final em 68-29.
A maliana A. Coulibaly, com 25 pontos marcados, foi a cestinha da partida, ao passo que do lado angolano destacou-se A. Dizeko, com 13 pontos anotados.

As malianas que nas meias-finais vergaram a similar de Moçambique, por 63-39, ontem, diante das angolanas, voltaram a evidenciar a sua classe, vencendo com toda a naturalidade a Selecção Nacional.

Mali, com cinco troféus continentais arrebatados é nesta altura a selecção mais titulado do continente berço da humanidade.

Angola e Mali serão as representantes do continente africano na fase final do Campeonato do Mundo de Sub-17 de 2018.

Depois de ter ficado em três ocasiões com a medalha de bronze, em 2009, 2011 e em 2015, a Selecção Nacional conseguiu a sua primeira medalha de prata e a inédita qualificação para o Campeonato do Mundo de Sub-17.

Entretanto, para as classificativas do terceiro lugar, a selecção do Egipto suplantou a selecção caseira (Moçambique), por 56-38.



Preparação
Angola defronta
Misto de Luanda


A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina volta a testar hoje, domingo, no Pavilhão Victorino Cunha, a partir das 17h00, o Misto de Luanda, naquele que deve ser o último amistoso das bicampeãs africanas, antes de seguirem viagem para Bamako, Mali, palco da 23ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, prova a decorrer de 18 a 27 do mês em curso.

Ontem, no primeiro dos dois encontros que vai ter com o Misto de Luanda, as comandadas de Jaime Covilhã venceram com algumas dificuldades, por 67-61, num prélio em que o combinado nacional apresentou algumas lacunas, fundamentalmente, nas recuperações defensivas e na montagem de bloqueios para ganhar os ressaltos.

Luísa Tomás, com 15 pontos anotados, foi a melhor marcadora das bicampeãs africanas que vão ao Mali em busca do terceiro anel continental, depois de ter vencido em 2011, no Mali, e em 2013, em Maputo, capital moçambicana. A extremo Felizardo Jorge contribuiu com 11 pontos. Angola está inserida no Grupo A, ao lado dos Camarões, Costa do Marfim, Tunisina e o Mali (país anfitrião).