Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Seniores encerram temporada

Silva Cacuti - 07 de Novembro, 2014

Petrolíferas da capital e militares reeditam a final da Taça dos Clubes Campeões Africanos prova ganha pelas rubro e negra

Fotografia: Nuno Flash

A época desportiva de andebol de seniores encerra hoje, a partir das 17h30, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, com a disputa dos jogos referentes às finais da Taça de Angola, em femininos e masculinos.

À margem dos jogos da Taça de Angola, a Federação Angolana de Andebol vai proceder à colocação das insígnias da Confederação Africana de Andebol (CAHB) aos árbitros Hélvio Gomes e Pedro Pinto que ascenderam à categoria continental ao longo da época, após participação num estágio em Lomé, Togo.

A ideia de tira-teimas que subjaz entre os adeptos da modalidade é factor que pode tornar o pavilhão principal da Cidadela pequeno para a moldura humana que vai querer testemunhar o fecho da época.

Em femininos, o 1.º de Agosto e o Petro de Luanda há muito monopolizam as finais das provas em que se inscrevem. Vão repetir o que foi a final do campeonato provincial, do campeonato nacional e do campeonato africano.

Vivaldo Eduardo, técnico petrolífero, sabe da sina das repetições, mas não vai querer, de certeza, que se repita a tendência favorável às militares nas três finais anteriores.

O técnico trabalha para reverter o quadro. Aliás precisa de um trabalho árduo, já que, ao que tudo indica, os pólos estão a ser invertidos.

Edgar Neto, adjunto da equipa tricolor, eufórico, disse após a conquista da taça no ano passado: "Com esta vitória queremos dizer ao 1.º de Agosto para ficar em sentido porque ainda somos os papões do andebol em Angola."

A equipa militar decretou o fim da humilhação e de lá para cá consentiu a derrota apenas na Supertaça. Chamou um novo técnico, Victor Chikoulaev, que chegou ao clube ao mesmo tempo que a maturidade de algumas atletas, com particular realce para Albertina Cassoma que se tornou imbatível na posição seis.

No sector masculino salta à vista a ausência do 1.º de Agosto, detentor do troféu, cujas ambições para a época foram embater numa rocha chamada Petro de Luanda. O Petro, de José Pereira "Kidó", constituiu-se na principal pedra na bota militar. Depois de lhe "cassumbular" o título nacional, voltou a afastar a equipa de Filipe Cruz da Taça de Angola.Na final o adversário dos tricolores é o Interclube, orientado por Tony Costa. Finalista vencido da edição anterior, o Interclube demonstra ser a equipa que melhor conhece a forma de vencer o Petro de Luanda, já que venceu os dois jogos do campeonato nacional, mas teve o primeiro revés na fase provincial da Taça de Angola.