Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Serena teve ajuda

02 de Fevereiro, 2015

Serena Williams no último sábado em Melbourne foi o seu 11º de Grand Slam desde 2008

Fotografia: AFP

O título ganho por Serena Williams no último sábado em Melbourne foi o seu 11º de Grand Slam desde 2008, mas diferentemente das dez conquistas anteriores, esta veio sem que a americana pudesse ter ao seu lado um grande companheiro, Aleksandr Bajin, ou simplesmente Sascha. Pouco conhecido do grande público, o alemão não é apenas o "sparring" da líder do ranking mundial. É também um grande amigo e quase um membro da família Williams."Excluindo os meus pais, ele é provavelmente a pessoa mais importante na minha equipa. É muito mais que um "sparring", é como um irmão mais velho", definiu a jogadora.

Devido a uma lesão não divulgada, Sascha deixou de acompanhar Serena num Major pela primeira vez desde Roland Garros-2007.Então, coube a um francês de 28 anos a missão de ajudar a americana nos seus treinos, simular situações de jogo e até mesmo reproduzir golpes e características da adversária. E pelo resultado final, o trabalho foi feito com mérito por Jonathan Dasnieres de Veigy.

Ex-tenista profissional, ele chegou a ocupar a 146ª posição do ranking mundial e aposentou-se em 2013. Desde então, passou a dedicar-se a ajudar outros tenistas. No ano passado, por exemplo, participou da preparação de Novak Djokovic para a final de Roland Garros com Rafael Nadal, por ser canhoto como o espanhol. "Eu gostei de treinar com Jonathan. Tivemos duas semana maravilhosas aqui em Melbourne, desfrutamos bastante. Preciso  de falar com Sascha para ver como vão ficar as coisas.

 Ele agora está lesionado e precisamos de ver como evolui. Mas ele é demais, todos os dias me escreve e vai ser  muito-bem vindo de volta. Mas também vai ser um pouco estranho, porque eu adoro trabalhar com Jonathan. Ele é incrível, engraçado. Ele é francês. Ele agora ajuda-me a falar francês. Odeio estar nesta situação (de precisar de escolher)", afirmou Serena após derrotar Maria Sharapova na decisão por dois sets a zero.