Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Serena Williams segue imbatível

07 de Setembro, 2016

Eliminada em 2015 nas meias-finais Serena chega aos quartos sem perder um set

Fotografia: AFP


A americana e número 1 do mundo, Serena Williams, classificou-se na segunda-feira sem dificuldades para os quartos -de -final do US Open, ao derrotar a cazaque Yaroslava Schvedova. A tenista mostrou toda a sua superioridade diante de uma adversária que está posicionada na 52ª colocação do ranking WTA, precisou de uma hora e oito minutos para vencer em dois sets, 6-2, 6-3.

Seis vezes campeã do US Open, Serena vai ter na frente hoje, quarta-feira, para as meias-finais, a romena Simona Halep que é quinta cabeça de chave que eliminou a espanhola Carla Suárez Navarro em dois sets, 6-2, 7-5.Serena foi surpreendentemente eliminada em 2015, nas semifinais, pela italiana Roberta Vinci, chega aos quartos -de -final sem perder um set sequer, nas quatro partidas disputadas na actual edição do Open dos Estados Unidos.

Ela avançou, mas a irmã  Vénus ficou pelo caminho, derrotada pela tcheca Karolina Pliskova em três sets, 4-6, 6-Na chave masculina, o argentino Juan Martin del Potro classificou-se para os quartos -de -final do US Open, pela primeira vez desde 2012, após o abandono do austríaco Dominic Thiem, adversário nos "oitavos".

Del Potro foi campeão do US Open em 2009, vencia por 6-3, 3-2 quando Thiem, número 10 do mundo, pediu atendimento médico devido a dores no joelho, antes de abandonar a partida e não ter condições de continuar. "Nunca é agradável ganhar uma partida, por abandono de seu adversário. Torço para que Dominic recupere logo, tem um grande futuro pela frente", afirmou Del Potro.

"Não sei se estou a jogar melhor do que em 2009, mas continuo a tentar ganhar jogos de ténis", concluiu. O argentino, 142º do ranking ATP e que disputa o Open dos Estados Unidos graças ao convite da organização, voltou às quadras em Março deste ano, após três temporadas arruinadas, por graves lesões nos punhos.Del Potro chegou pela última vez aos "quartos" de um Grand Slam, em Wimbledon, em 2013, vai ter como adversário, por uma vaga nas meias-finais, o suíço Stan Wawrinka (N.3), que eliminou o ucraniano Illya Marchenko (N.63) em quatro sets, 6-4, 6-1, 6-7, 6-3.

Quem promete lutar pelo título, é o japonês Kei Nishikori (N.6), que dominou o gigante croata Ivo Karlovic em três sets, 6-3, 6-4, 7-6 (7/4).Nishikori foi  vice -campeão em 2014, apostou na sua velocidade e óptima defesa para sobreviver aos 21 aces, apontados por Karlovic.Na próxima fase, o japonês defronta o vencedor do confronto entre o britânico Andy Murray e o búlgaro Grigor Dimitrov.


PARALÍMPICOS
Espanha assaltada na
Vila Paralímpica


Atletas espanhóis denunciaram um furto de aproximadamente 350 euros em espécie, nos quartos da Vila Paralímpica do Rio de Janeiro, durante o final de semana. Os principais suspeitos são pessoas da limpeza, explicou na segunda-feira à AFP, uma fonte da delegação.Disseram que eram pessoal da limpeza, mas o que ‘limparam’ foi o dinheiro das carteiras de alguns membros da nossa equipa de atletismo. Chegamos a localizá-los e enviamos aos seguranças da vila, ao serem interpelados não encontraram nada. Com certeza tinham um lugar para esconder o dinheiro", afirmou.

Segundo a imprensa espanhola, agora, alguns atletas não permitem a entrada dos camareiros nos apartamentos. O caso foi denunciado ao comité organizador ", para que  não se repita", informou a fonte.A segurança é uma prioridade" para a Rio-2016, disse à AFP uma fonte do comité organizador, e acrescentou que até o momento a delegação espanhola não denunciou o furto à polícia.Nos Jogos Olímpicos de 5 a 21 de Agosto que precederam os Paralímpicos de 7-18 de Setembro, membros da equipa olímpica de vela espanhola foram vítimas de um assalto.

Enquanto isso,  durante os Jogos do Rio-2016 não foi detectado qualquer caso de zika entre os atletas, nem entre os demais participantes do evento olímpico, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS), e destacou  que o Brasil continua a ser o país mais afectado pela epidemia.
"O Brasil indicou que durante os Jogos Olímpicos e depois que os Jogos acabaram, não foi detectado nenhum caso de atleta ou participante infectado por zika", informou à imprensa o presidente do comité de emergências da OMS para o zika, o dr. David Heymann.

"Pode ser que alguns casos se apresentem agora, ou depois dos Jogos Paralímpicos", destacou, por sua vez, o director do Programa de Gestão de Situações de Emergência Sanitária da OMS, Peter Salama.Ele ressaltou, no entanto, que mesmo que possa  haver alguns casos, não se pode dizer que os Jogos foram um factor que acelerou a propagação da doença. Em Fevereiro, a OMS  decretou uma emergência de saúde pública de alcance internacional e reafirmou que cerca de 70 países contam com casos de zika, desde 2015.Importa recordar que durante a realizaçãodos dos Jogos Olímpicos o mês passado,também foram registados e denunciados alguns casos de roubos de haveres dos atletas.