Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sharapova nas malhas do doping

09 de Março, 2016

A tenista ainda não tem ideia da punição que vai receber e confirmou que está a trabalhar com a ITF para resolver a situação mais rápido possível

Fotografia: AFP

Maria Sharapova preparou uma entrevista colectiva e os fãs do ténis aguardavam o anúncio da aposentadoria. Porém, a russa confirmou que caiu no teste anti-doping para a substância meldonium e não sabe quando tempo ficará afastada das quadras. ‘Eu recebi a carta da ITF (Federação Internacional de Ténis) e descobri que cai no exame anti-doping’, afirmou.

Sharapova confirmou que utiliza o remédio desde 2006 e foi dado pelo médico da família. Bastante abatida, a russa assumiu o erro e pediu uma possibilidade de voltar a jogar, já que ela não gostaria de terminar a sua carreira dessa forma. O meldonium não estava entre as substâncias proibidas na lista da agência internacional de anti-doping (WADA). ‘Eu assumo toda a responsabilidade. Cometi um grande erro’, afirmou.

A russa ainda não tem ideia da punição que vai receber e confirmou que está a trabalhar com a ITF para resolver a situação mais rápido possível. Vale lembrar, que a Rússia está envolvida numa polémica por causa do suborno em casos de doping no atletismo. A participação do país nas provas da categoria estão ameaçadas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro em 2016.

Maria Sharapova, 28 anos, está em sétimo no ranking da WTA. Ex-número 1 do mundo, a russa conquistou 35 títulos e cinco Grand Slams. É a terceira em actuação com mais títulos atrás de Serena e Venus Williams. Ela venceu duas vezes Roland Garros e uma vez Wimbledon, Australian Open e US Open. Sharapova ganhou ao menos um troféu de 2003 a 2015 e venceu 80% das 733 partidas que fez, uma marca grandiosa. Além disso, conquistou 36 milhões de dólares em prémios na carreira.

Jennifer ataca
Após a tenista Maria Sharapova anunciar que foi flagrada no exame anti-doping esta semana, a americana Jennifer Capriati, ex-número 1 do mundo, não poupou críticas à russa. Na sua conta no Twitter, ela publicou diversas mensagens condenando a atitude da número 7 do ranking, apesar de não ter citado nomes.

“Estou extremamente brava e desapontada. Tive que perder a minha carreira e nunca optei por trapacear, independentemente do motivo. Tive que jogar a toalha e sofrer. Não tinha uma equipa médica cara para achar um jeito de trapacear e burlar o sistema e esperar a ciência solucionar. Acho que isso está longe do desporto e do trabalho duro. É difícil ser chutado quando se está por baixo, quando se está lesionado e fica fora”, postou a americana, que teve de encerrar a sua carreira em 2004, aos 27 anos, devido a lesões consecutivas.

Sharapova foi flagrada no exame anti-doping pelo uso de Meldonium, remédio indicado para o tratamento de doenças cardíacas, como isquemia, estimulando a circulação sanguínea. Porém, no início deste ano, entrou na lista de substâncias proibidas como modulador metabólico, utilizado para aumentar a performance dos atletas.

“Qual o sentido de tomar um remédio que ajuda o seu coração a se recuperar mais rápido a não ser que você tenha uma doença cardíaca? É necessário? Talvez eu deva começar a tomá-lo. Pode me fazer sentir melhor."