Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Silncio da FAB inquieta filiados

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 02 de Junho, 2018

Formao de atletas a chave para resgatar a imagem de Angola.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A perda de 34 lugares no ranking mundial apanhou desprevenido as Associações Provinciais de Basquetebol. Em busca de resposta, os associados reuniram-se na cidade de Lubango e manifestaram a falta de comunicação com a Federação Angolana da modalidade (FAB). O silêncio da instituição reitora preocupa os associados da Huila, Namibe, Cuanza Sul e Malanje. Em declarações ao Jornal dos Desportos, o coordenador do Foro Nacional dos Presidentes das Associações de Basquetebol, Marcos Sovento, sustentou que \"a comunicação entre a FAB e os parceiros ou filiados não fui tanto\". \"Agendamos o encontro na Huila com o presidente da FAB, Hélder Cruz \'Maneda\', porque foi uma promessa feita à Associação local para discutirmos o estado actual do basquetebol nacional. Infelizmente, por questões profissionais e familiares não se fez presente\", disse. Marcos Sivento prometeu que o grupo vai voltar a reunir-se, mas desta no Cuanza Sul em data a anunciar, para debater as questões do basquetebol. A perda de 34 lugares no ranking mundial \"não justifica o que país fez nas competições internacionais\". O facto mancha a imagem de Angola. Apesar da ausência de Hélder Cruz \"Maneda\", Marcos Sovento valorizou a realização do Foro Nacional dos Presidentes das Associações de Basquetebol. O grupo aprovou uma proposta a ser apresentada à FAB no próximo evento agendado para a província do Cuanza Sul. Entre as propostas salienta-se a realização de campeonato nacional de Sub-14 na província do Huambo, os Sub-16 em Malanje, os Sub-18 em Luanda e a Segundona na Huila. \"Esses são os ganhos para o país, depois de analisarmos o estado actual do basquetebol nacional. Esperamos que a FAB se pronuncie. Felizmente, no ano passado, fizemos as propostas em Malanje e confirmou-se tal qual pretendíamos\", disse.
Marcos Sovento, também presidente de direcção da Associação de Basquetebol do Cuanza Sul, augura a realização dos campeonatos nacionais das categorias de formação no presente ano. Só assim vai impulsionar \"a qualidade\" nos clubes. \"Aumentar o número de horas de jogo nos atletas de formação tem repercussões na qualidade competitiva. Por essa via, vamos ter novos valores\", sustentou.
Marcos Sovento defende que o novo modelo de competições visa suprir a carência de jogos. As equipas locais competem apenas nas provas nacionais, excepto naquelas circunscrições onde realizam eventos internos. A associações provinciais devem trabalhar mais com os clubes. Além das quatro províncias citadas, o Foro Nacional dos Presidentes das Associações do Basquetebol devia contar com as presenças dos representantes de Luanda, Huambo e Zaire. Os titulares justificaram questões profissionais e de saúde.