Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Silva abraça carreira de treinador

Gaudêncio Hamelay - Lubango - 27 de Agosto, 2016

Paulo Silva reconheceu igualmente que a Huíla é a província que mais massificou o tiro aos pratos em fosso olímpico ao longo dos tempos

Fotografia: Nuno Flash

O atirador internacional angolano, Paulo Silva, anunciou no Lubango, a retirada da prática da modalidade, para abraçar a carreira de treinador, com objectivo de emprestar a experiência acumulada ao longo dos anos, na formação de novos talentos que despontam no tiro aos pratos.

“Nas calmas, estou a tirar o pé do acelerador, como se costuma dizer, e passar para outro tipo de actividade. Quero usar a experiência acumulada ao longo destes anos todos, para a formação e ajudar os nossos atiradores que despontam na modalidade”, anunciou.

O atleta do 1º de Agosto referiu que este ano, e por força também da sua participação nos Jogos Olímpicos, optou por não lutar pelo título.

“Inclusive, já faltei nas competições no princípio do ano, se tiver cá, vou atirar para  dar o meu melhor, mas não faço questão de estar a lutar para o título, este ano”, confessou.

Questionado se há motivos para se “aposentar”, Paulo Silva, afirmou ter  ganho 12 vezes o título de campeão nacional em fosso olímpico, e torna-se cansativo continuar a fazê-lo.  Por isso, argumentou, “está na altura de começar deixar o espaço para outros atiradores, porque é também uma forma de incentivo”.

Pela segunda vez, Paulo Silva, representou o país nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro decorridos de 5 a 21 do corrente mês. De realçar que o internacional angolano é o atirador  com maior palmarés. Esteve nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000, na Austrália, e a conquista da medalha de ouro nos Jogos Africanos de Argel 2007, foi um dos pontos altos da sua carreira desportiva.

Paulo Silva reconheceu igualmente que a Huíla é a província que mais massificou o tiro aos pratos em fosso olímpico, ao longo dos tempos, e actualmente possui mais de 30 atiradores em actividade. Fruto disso, sublinhou, os resultados do processo de massificação já começaram a surtir os efeitos preconizados.

“Durante a disputa do torneio alusivo às festas de Nª Sr.ª do Monte, tivemos a prova disso, com a integração na final de atiradores novos”,regozijou-se Paulo Silva.