Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Simuladores ocupam Raikkonen

04 de Janeiro, 2014

Kimi Raikkonen está ocupado este mês a trabalhar no simulador

Fotografia: AFP

O piloto de Fórmula 1 Kimi Raikkonen e o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo, não são fãs de  simuladores, mas o piloto finlandês tem de  que passar muito  tempo numa dessas máquinas, agora que está de volta à equipa italiana.

O início de 2014 marca tanto uma nova fase como o regresso para o chamado “homem de gelo”,  campeão mundial de 2007, que está de volta à Ferrari, equipa que ele  deixou  em 2009  para dar lugar ao piloto espanhol Fernando Alonso.

Aos 34 anos  saiu da Lotus para fazer parceria com Alonso na única dupla de equipa composta por dois campeões na actual Fórmula 1. Raikkonen tem muito  trabalho pela frente, a algumas semanas dos primeiros testes de pré-temporada, no Jerez.

“Kimi vai estar muito ocupado desde o início de Janeiro a trabalhar nessa máquina estranha,  de que  eu não gosto nada, o simulador", disse Montezemolo à imprensa durante um almoço antes do Natal, em  Itália, em Dezembro. “É uma brincadeira. Fomos forçados a investir muito dinheiro nessa máquina terrível, artificial”.

Montezemolo há muito defende que, em vez do uso da tecnologia virtual, a F1 volte a ter testes em pistas durante a temporada, algo que está a ser  limitado como forma de cortar custos.

Para este ano  são  permitidos quatro testes pós-corridas de dois dias. Eles vão substituir um teste anual de três dias para jovens pilotos e oito dias de uso promocional de pista que cada equipa tinha direito.

As equipas estão a trabalhar de forma intensa nos novos carros, em meio à revolução pela qual passam as regras do desporto. Os velhos motores V8 foram descartados e substituídos pelos novos turbos V6.

Todos os pilotos vão ter de  familiarizar-se com essa nova tecnologia e com as diferentes maneiras de competir. Eles já começaram a fazer isso nos simuladores.

Raikkonen   passou por uma cirurgia nas costas em Novembro , perdeu duas corridas da temporada passada, não é grande fã dos simuladores. No ano passado, o finlandês pode  ter dito  que não aprendia nada com a máquina.

Em 2012, quando voltou  a correr na F1, ele disse à imprensa: “Não sou como os outros pilotos, não dirigi o simulador para aprender isso”.

Espera-se que Raikkonen seja o primeiro a testar o novo carro no  Jerez, com o vice-campeão do ano passado Alonso a juntar-se aos testes posteriormente, e a parceria dos dois vai ser acompanhada de perto, com especial atenção para qualquer sinal de tensão.

Montezemolo, que antes alertou   a presença de “dois galos no mesmo galinheiro”, disse querer dois jogadores de equipa e assegurou aos repórteres não estar preocupado.


BREVE

ECCLESTONE

Dupla vai ser divertida

Bernie Ecclestone anteviu quinta-feira a dupla de pilotos campeões de Mundo com que a Ferrari deve correr em 2014. O patrão da Fórmula 1 acredita que vai ser ‘divertido’ ver Fernando Alonso e Kimi Räikkönen na escuderia italiana. “Vamos ver a Ferrari diferente em 2014. A dupla Alonso/Räikkönen é uma combina  clássica que Enzo Ferrari ia gostar de ver”.