Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Socos rijos no Zonal IV

Gaud?ncio Hamelay , no Lubango - 28 de Abril, 2017

Selecção Nacional aguarda

Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

O Campeonato da Zona IV de boxe agendada para a cidade de Lubango, província da Huíla, corre o risco de ser adiado por tempo indeterminado por dificuldades de migração das selecções participantes. Até ontem, a comissão organizador local registou apenas as presenças das equipas sul-africana e anfitriã. Por força da ausência das restantes delegações estrangeiras, o comité adiou para hoje o início do evento desportivo.

Ontem, o Comité Organizador tomou conhecimento que a selecção da Namíbia se encontrava na província do Cunene, em trânsito para a cidade de Lubango. A equipa vizinha faz o percurso terrestre sem notificar a organização.

As duas selecções presentes no palco da competição estão ávidas para começar a desferir os golpes. A África do Sul é composta por oito atletas masculinos e quatro femininas.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o vice-presidente da Federação Angolana de Boxe, Wilson Neto, explicou que \"o atraso verificado é normal em qualquer campeonato\" da modalidade.

“As outras selecções não chegaram a Angola no tempo previsto. Ainda hoje (ontem), temos a perspectiva de receber outras selecções. Então, o atraso é normal para o Africano de boxe. Já tivemos dificuldades piores noutros países. O campeonato só arranca após a confirmação dos países”, esclareceu.
Wilson Neto avançou que os países confirmaram que vão comparecer na prova e estão a caminho.

“Até o final da tarde (de ontem), vamos saber quantos países estão para vir a fim de decidirmos sobre o arranque da actividade amanhã (hoje).
Contudo, a prova arranca amanhã (hoje) com a confirmação da África do Sul, por ser um dos países participantes”, disse.

O dirigente federativo garantiu que o adiamento não constitui nenhuma dificuldade para a organização do evento, porquanto tudo está aprimorado. Apenas falta o grosso dos países concorrentes fazerem-se presentes na cidade do Lubango.

“Dependemos dos países para avançar. Em termos de horário, não altera nada o adiamento para amanhã (hoje). A selecção da África do Sul chegou a Lubango às 22h00, quando tinha de sair de Luanda às 18h00 de última quarta-feira. Então, também prejudicaria a pesagem hoje de manhã (ontem). Os atletas fizeram apenas as refeições às 23h00, o que reflectiria no peso e prejudicar o atleta no momento da pesagem”, sustentou.

A província da Huíla tem tudo à disposição dos participantes.

“O pavilhão multiuso da Nossa Senhora do Monte, local da competição, está pronto com a montagem do ringue. A direcção da Associação Internacional de Boxe (AIBA) já se encontra desde quarta-feira no Lubango e a prova vai arrancar”, informou.


 MIGRAÇÃO
Vistos travam delegações participantes


O processo de atribuição de vistos de entrada ao território nacional está a ser mais difícil do que se antevia, uma vez que alguns países convidados não os receberam até a presente data. As palavras são do presidente da Federação Angolana de Boxe, Carlos Luís, em nota dirigida à Comissão provincial de preparação do Zonal IV.

O documento a que o Jornal dos Desportos teve acesso, ontem, no Lubango, adianta que a selecção do Zimbabwe, que tinha a sua chegada prevista para quarta-feira às 18h10, não conseguiu embarcar por falta de vistos.

“Na quinta-feira, recorremos ao Ministério das Relações Exteriores, concretamente na Direcção para o Médio Oriente e África, no intuito de influenciar junto dos Serviços Consulares das nossas Embaixadas para que agilizem e concedam os vistos requeridos pelas Federações convidadas. Até quarta-feira, verificou-se alguns constrangimentos”, lê-se na nota.

Outrossim, explica Carlos Luís, a antecipação feita pela Confederação Africana de Boxe na semana passada sobre a realização do Campeonato Africano de Brazzaville qualificativo ao Campeonato do Mundo, marcado para o final de Junho de 2017, faz com que os países com limitações financeiras cancelassem à última da hora a participação no zonal IV, na cidade do Lubango.

“Continuo em Luanda até o final do dia para auxiliar os países que continuam a fazer os esforços para participar do zonal IV no Lubango”, justifica.
Na nota, Carlos Luís avança que já se solicitou à Comissão Executiva da zona IV para proceder ao adiamento do início da prova de 27 para 28 de Abril de 2017.

\"Agradecemos desde já a máxima compreensão de todos e apelamos a melhor colaboração para que a organização deste evento decorra como planeamos”, finaliza o documento assinado por Carlos Luís, presidente da Faboxe.


NA ESTREIA
Angola com trio feminino


Angola participa no Campeonato Africano de Boxe da Zona IV, que a cidade do Lubango alberga a partir de hoje, com três atletas femininas nas categorias dos 60, 64 e 69 quilogramas.

O presidente da Federação Angolana de Boxe, Carlos Luís, ressaltou que a realização do Zonal IV em Angola vem para relançar, massificar e impulsionar o crescimento no seio da classe feminina. 

O dirigente federativo reconheceu que ainda não está incutido no seio da mulher angolana que a preparação física no boxe é a melhor para o ser humano.  Explicou que aumenta o número de mulher da terceira idade em toda Europa, América e Ásia. A valência da prática do boxe é a manutenção da saúde.

“Relativamente à competição, só vamos participar. Estamos a organizar e permitir que as mulheres estejam em contacto com a realidade. Certamente que, a partir daqui, as atletas podem chamar à razão da vontade para que se leve a prática com mais seriedade, se realmente querem ter o boxe como competição”, disse. 

Acrescentou que, se for para manutenção, a federação tem de inverter o quadro e promover as acções de sensibilização no sentido da mulher angolana, aquela que gosta, possa praticar seriamente o boxe. 

Esclareceu que em 2013, a Federação Angolana fez o primeiro campeonato nacional de boxe feminino. A partir daquela data até agora, o número de praticantes está a aumentar, mas num ritmo com pouca seriedade.

Carlos Luís adiantou que uma equipa tem de surpreender a outra que está sempre a vencer, sobretudo, as pugilistas que estão sempre a se sagrar campeões. Devem puxar-se umas das outras, fazerem um esforço maior e levar mais sério a prática do boxe para se firmarem na competição internacional.    
 
O presidente da Federação Angolana de Boxe admitiu que o país está fraco na classe feminina, mas \"os esforços estão a ser evidenciados para sensibilizar a mulher angolana a ter gosto pela prática\".


OBJECTIVO
Selecção das senhoras
augura medalha de ouro


O seleccionador nacional de boxe em sénior feminino, Panda Lukambi, assegurou estar confiante numa boa prestação das atletas no zona IV de boxe a decorrer desta sexta-feira até 1 de Maio, na cidade do Lubango. A boa preparação efectuada constitui o motivo de confiança.

“Trabalhamos muito para este evento. Creio que as atletas estão bem preparadas. Por ser a primeira vez em que o boxe feminino vai participar do zonal IV, vamos fazer o possível para representar condignamente as cores do país. A África do Sul tem também atletas estreantes e esperamos conquistar medalhas de ouro\", disse.

Durante a preparação, as três pugilistas trabalharam com a selecção masculina. O grupo separou-se quando faltavam 20 dias.

“A selecção masculina foi para a província do Huambo e ficamos em Luanda para dar continuidade ao programa elaborado pelo seleccionador masculino, Enrique Carrión, até a altura da competição. Aprimorámos mais os aspectos de combate, defesa e ataque”, disse. 

Integram a selecção nacional sénior feminina, as atletas Glória de Deus (69kg), Suzana Estêvão (64kg) e Nadine Mbaqui (60kg).


RECONHECIMENTO
AIBA satisfeita com a organização


O supervisor da Associação Internacional de Boxe (AIBA), Luís Bosselli, disse ontem estar satisfeito com as condições organizativas e técnicas encontradas no Lubango para o Campeonato da zona IV, que pode ter início hoje.

Na qualidade de coordenador do campeonato, Luís Bosselli, de nacionalidade brasileira, exteriorizou que tudo o que foi requerido para a organização do evento, a comissão criada para o efeito cumpriu.

“Cheguei quarta-feira ao Lubango e pude ver até agora que está bem organizado. Tudo que foi previsto e requerido para a organização do evento, cumpriu-se. Agora, vamos fazer a visita oficial ao lugar do evento, onde vai ser a competição. A organização administrativa, sobretudo, o hotel, alimentação e transporte, está perfeito. Só temos de elogiar”, manifestou.

Questionado a pronunciar-se sobre o adiamento do início da prova, Luís Bosselli afirmou sem muitos pormenores que algumas selecções se atrasaram devido a problemas de visto de entrada, passagem e cancelamento de voos.

“O presidente da Federação Angolana de Boxe tem mais detalhes sobre a razão oficial. Imagino que seja pelo atraso das equipas em chegar nos países de escala e, consequentemente, ao local da competição”, salientou. 

O supervisor da AIBA perspectiva as presenças das selecções com bons níveis competitivos no Campeonato da Zona IV.

“Nessa região da África tem equipas tecnicamente muito boas como são os casos da África do Sul e de Angola, cujo nível cresceu muito nos últimos anos. Temos a Namíbia, Botswana, entre outros, que podem apresentar um boxe muito bom durante os combates”, destacou.
GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO