Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sonho adiado

Rosa Panzo - 01 de Janeiro, 2017

Voleibol de praia falha qualificação

Fotografia: Jornal dos Desportos

Em 2016, as atenções da direcção da Federação Angolana de Voleibol estavam viradas n o apuramento aos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, disputado em Agosto. Com uma estratégia bem definida pela equipa técnica de voleibol de praia, liderada por Morais de Abreu, Angola entrou bem na primeira fase da Continental Cup, disputado no Cairo, Egipto. As duplas angolanas conseguiram a medalha de ouro.

As esperanças levaram a sonhar com a segunda presença do país no maior evento desportivo do mundo. A alegria foi curta. Na segunda fase das eliminatórias do Continental Cup, o sonho foi adiado. A performance anterior baixaram significativamente e a medalha de bronze foi insuficiente para "comprar" o visto para as terras do samba.

A vitória pela medalha de bronze deu outra recompensa ao país. O grupo foi consolado com a qualificação ao Campeonato do Mundo a ser realizado na Rússia em 2020.

Por dificuldades económicas e financeiras, que atingiram os clubes e as associações provinciais,  a direcção de Valentim Domingos sentiu-se obrigada a adiar para 2017 todas as importantes provas do calendário de actividades de 2016. Assim, estão cancelas as provas de voleibol de sala das categorias de juvenis, juniores e seniores. O circuito de voleibol de praia também estão cancelas e sem data para dar arranque. Nesse quesito, o saldo é negativo.

Apesar dos constrangimentos desportivos, os associados voltaram a confiar a direcção da Federação Angolana de Voleibol a Valentim Domingos. O antigo voleibolista foi reeleito a 19 de Novembro e empossado a 15 de Dezembro, numa cerimónia que decorreu no Hotel HCTA, no município do Talatona.