Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Spa-Francorchamps volta a ter corridas

14 de Janeiro, 2017

Spa-Francorchamps a entrar na lista de pistas interessadas em receber a MotoGP.

Fotografia: Reuters

Depois de Hungaroring, agora é Spa-Francorchamps a entrar na lista de pistas interessadas em receber a MotoGP. A directora do circuito, Nathalie Maillet, revelou conversas preliminares para atrair o Mundial de Motociclismo ao circuito da Bélgica.

Em declarações à publicação belga ‘DH.be’, Maillet revelou que já conversou com a Dorna, a promotora do campeonato, sobre a possibilidade de Spa-Francorchamps voltar ao calendário. O traçado recebeu o GP da Bélgica entre 1949 e 1990.

“Quero trazer alguns grandes eventos, como a MotoGP. Recentemente, passei um dia em Madrid a conversar com os organizadores da competição", contou Maillet.  Nathalie Maillet lembrou que “Bradley Smith conduziu uma moto de 500cc no Verão passado em Spa”.

A dirigente explicou que precisa de estudar as necessidades das motos, e  o impacto económico da corrida, e deixou claro que se o GP da Bélgica voltar ao calendário, não vai ser antes de 2020

“Vou estudar as amenidades necessárias para receber as motos de volta, organizar tanto F1 como MotoGP, mais profundamente neste ano, em especial, o nível de rentabilidade e o retorno económico para a região”, avisou.

Bradley Smith disse que " não seria antes de 2020". "Estou a pensar em longo prazo”, frisou.

O belga Didier De Radigues venceu a etapa das 250cc, em Spa-Francorchamps, em 1990, celebrou o interesse no Mundial e destacou que o traçado é um dos que mais dá prazer a bordo de uma moto.

“Se o projecto foi bem sucedido, seria simplesmente fantástico! O lay - out de Spa contrasta com outros circuitos higienizados de hoje, que são na maioria criados pelos mesmos designers”, apontou.

“Para um piloto de moto, Spa é um dos circuitos que mais dá prazer. Rapidamente seria um lugar especial no calendário e  tornar - se ia tão mítico quanto é para a F1”, apostou.

“Na recta que segue a Raidillon, os pilotos provavelmente atingiriam uma velocidade máxima perto de 350 km/h, como em Mugello ou Sepang, por exemplo, mas são as longas e rápidas curvas que iam fazer Spa tão especial”, considerou De Radigues. 

Mesmo animado com a possibilidade de ver Spa de volta ao calendário, o ex-piloto manteve os pés no chão: “2020 parece-me muito optimista”.