Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sterling processa a própria mulher

28 de Julho, 2014


Donald Sterling, ex-dono do Los Angeles Clippers, que ficou conhecido pelos comentários racistas em uma conversa telefónica, resolveu tomar uma atitude em relação às punições contra ele, após o acontecimento. Ele vai processar o clube, o comissário da liga, Adam Silver,  até a sua esposa, Shelly Sterling, por tentarem vender a franquia para um ex-CEO  da Microsoft.

Desde o escândalo, a liga tenta fazer com que o mandatário venda a franquia de Los Angeles, já que a sua punição pelo acontecimento foi o seu afastamento da NBA, sem  poder assistir jogos nos ginásios. Porém, o empresário acabou por processar a liga, pediu mil milhões de dólares por danos morais e materiais, além de querer fazer o mesmo  à sua esposa, que tentou sem sua autorização, vender a franquia para Steve Ballmer, ex-CEO da Microsoft.

“Esse é um acto frívolo, desesperado, de um homem amargo, que quer atrapalhar a venda recorde de dois milhões de dólares, algo que ia resolver de vez todo o problema criado pelo seu escândalo de racismo, disparou Pierce O'Donnell, advogado da mulher de Donald Steling.

Chris Paul ameaça boicote
A principal estrela do Los Angeles Clippers, Chris Paul, pode não começar a jogar a temporada 2014-2015 da NBA, caso Donald Sterling ainda esteja à frente do comando da franquia até o início da competição. “Isso, é algo que eu e Doc (Rivers, técnico) estamos a conversar. Algo tem de acontecer,  em breve.

É melhor agora, do que depois. Todos nós vamos conversar sobre isso. É inaceitável, disse Paul, à “ESPN” dos Estados Unidos. Sterling nega-se a vender a franquia sob alegação de que é seu património. Ele entrou na justiça contra a NBA e até contra a esposa, que tentou vender a equipa para o ex-CEO da Microsoft, Steve Ballmer.