Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sylvain acusa doping na Volta a Itália-2013

16 de Maio, 2013

Sylvain Georges, acusou a substância ilegal heptaminol

Fotografia: AFP

O francês Sylvain Georges, da equipa Ag2r, acusou a substância ilegal heptaminol num dos controlos antidoping da Volta a Itália, anunciou ontem a União Ciclista Internacional (UCI). As análises de Georges, de 29 anos, correspondem ao controlo feito antes do início da sétima etapa do “Giro”, que decorreu no dia 10 de Maio, em que terminou na 95ª posição, a 8.18 minutos do vencedor, o australiano Adam Hansen.

O ciclista francês foi, por esta razão, impedido de partir ontem na 11.ª etapa da Volta a Itália, que se disputa entre as regiões italianas de Tarviso e Vajont, depois de terem sido conhecidos os resultados dos testes realizados por um dos laboratórios da Agência Mundial de Antidopagem sediado em Roma. Georges, que se encontra na 81ª posição na classificação geral da Volta a Itália, terá a oportunidade de “solicitar uma contra-análise”, segundo o regulamento da UCI, e ficará entretanto a aguardar uma decisão da Federação Francesa de Ciclismo, que poderá abrir um processo disciplinar.


Torres Vedras recebe GP de Enduro


O Grande Prémio de Portugal de enduro leva a Torres Vedras a elite mundial da modalidade, com a localidade lusa a receber a quarta prova do Mundial, a 17, 18 e 19 de Maio. A prova começa com uma super especial nocturna na sexta-feira, 17. Nos dois dias seguintes, a competição desenrola-se de forma ininterrupta ao longo de oito horas, com as hostilidades a começarem às 9h00, ao longo de um percurso com 35 quilómetros de extensão, a ser percorrido quatro vezes.

A Extreme Test (1.200 metros), a Enduro Test (5.300 metros) e a Cross Test (4.000 metros) são as provas especiais em destaque da competição, que tem um percurso 60 por cento diferente da edição de 2012.

UCI recorre da decisão de tribunal espanhol


A União Ciclística Internacional confirmou ontem que vai apelar da decisão do Tribunaç de Madrid, que negou a libertação para a UCI e outras organizações antidoping de mais de 200 bolsas de sangue e outras evidências recolhidas em 2006, durante a Operação Porto. Em julgamento realizado a 29 de Abril, o médico espanhol Eufemiano Fuentes, que esteve envolvido no escândalo antidoping, foi suspenso por um ano, mas o Tribunal ordenou a destruição do material recolhido.

A UCI e outras autoridades querem voltar a testar as amostras para ver se há mais competidores e pessoas envolvidas no caso. A Operação Porto foi uma operação contra a dopagem no desporto de elite realizada na Espanha. Este processo permitiu desarticular uma rede de dopagem liderada pelo médico Eufemiano Fuentes. Esta rede oferecia diversas práticas ilícitas para melhorar o rendimento dos seus clientes: hormonas - incluindo eritropoietina (EPO), testosterona e outros anabolizantes -, medicamentos e transfusões sanguíneas. O relatório da Polícia Civil identificou 58 ciclistas como clientes da rede.