Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Taa Sayovo est tremida

Pedro Futa - 15 de Fevereiro, 2018

Coordenador tcnico nacional do CPA Jos Manuel garante a criao de condies

Fotografia: Contreiras Pipas/ Edioes Novembro

A realização da Taça Sayovo, no próximo dia 24 do corrente, está condicionada à decisão a ser tomada hoje no encontro entre o Comité Paralímpico Angolano (CPA) e o Ministério da Juventude e Desportos. Questões financeiras e a coincidência de datas com as outras provas forçaram o adiamento para o próximo mês de Março.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, o Secretário geral do CPA, António da Luz, garantiu que “as verbas ainda não foram alocadas”.
No capítulo desportivo, o coordenador técnico nacional da prova, José Manuel, afirmou que as condições da prova estão criadas.
\"Cerca de 400 atletas entre federados, populares e paralímpicos estão inscritos. Vamos ter a corrida dos PALOP (Países Africanos de Língua Portuguesa) e no mesmo dia, a Federação Angolana de Atletismo realiza uma outra competição. Achamos por bem cancelar a nossa prova e remarcá-la para o fim de Março\", disse.
Quanto a prémios, o treinador garantiu a atribuição aos cinco primeiros classificados.
“Convidámos seis atletas de cada província e a maioria já confirmou a presença \", afirmou.A corrida tem um percurso de 10 quilómetros, com a partida no Largo das Escolas e tem a chegada prevista no Estádio da Cidadela. Na edição anterior, os atletas da província do Bié, João Feleciano, e do Namibe, Eméliode Fernanda, ambos da classe T11 (deficientes visuais) foram os vencedores.
A Taça Sayovo existe desde 2005 e foi instituída pelo Ministério da Juventude e Desportos de Angola, com o suporte técnico do Comité Paralímpico Angola (CPA), como reconhecimento dos feitos do ex-atleta deficiente visual, da classe T11, alcançados quer na praça nacional, africana, mundial e Jogos Paralímpicos.
A iniciativa surgiu depois da conquista do triplo título como recordista mundial e paralímpico dos 100m, 200m e 400 metros em Atenas\'2004.
José Sayovo é o atleta com mais medalhas do desporto adaptado em Angola. Subiu ao pódio em três ocasiões consecutivas de Jogos Paralímpicos, designadamente, em Atenas\'2004 (Grécia), Beijing\'2008 (China) e Londres\'2012 (Inglaterra). Acumula 48 medalhas obtidas em provas internacionais. Ao todo são 25 de ouro, 21 de prata e 2 de bronze.


PROGRAMA DE 2018
Primeiros jogos acontecem em Maio

O Comité Paralímpico Angolano adiou para o mês de Março a realização da Taça em homenagem ao ex-campeão paralímpico mundial José Sayovo. A coincidência de datas com as outras provas forçou ao adiamento, segundo o coordenador técnico nacional da prova, José Manuel.
O dirigente afirmou ontem ao Jornal dos Desportos que as condições da prova inicialmente agendada para o dia 24 do corrente estão todas criadas.
\"Cerca de 400 atletas entre federados, populares e paralímpicos estão inscritos. Vamos ter a corrida dos PALOP (Países Africanos de Língua Portuguesa) e, no mesmo dia, a Federação Angolana de Atletismo realiza também uma outra competição. Achamos por bem cancelar a nossa prova e marcá-la para o fim de Março\", disse.O coordenador da prova esclarece que não há problemas financeiros, conforme rumores espalhados. \"As verbas foram alocadas e vamos premiar os cinco primeiros classificados. Convidámos seis atletas em cada província e a maioria já confirmou a presença \", afirmou.
A corrida tem um percurso de 10 quilómetros com a partida no Largo das Escolas e chegada no Estádio da Cidadela. Na edição anterior, os atletas da província do Bié, João Feleciano, e do Namibe, Eméliode Fernanda, ambos da classe T11 (deficientes visuais) foram os vencedores.
A Taça Sayovo existe desde 2005 e foi instituída pelo Ministério da Juventude e Desportos de Angola, com o suporte técnico do Comité Paralímpico Angola (CPA), como reconhecimento dos feitos do ex-atleta deficiente visual, da classe T11, alcançados quer na praça nacional, africana, mundial e Jogos Paralímpicos.A iniciativa surgiu após a conquista do triplo título como recordista mundial e paralímpico dos 100m, 200m e 400 metros em Atenas\'2004.
José Sayovo é o atleta com mais medalhas do desporto adaptado no país. Subiu ao pódio em três ocasiões consecutivas de Jogos Paralímpicos, em Atenas\'2004, Beijing\'2008 (China) e Londres\'2012 (Inglaterra). Acumula 48 medalhas obtidas em provas internacionais. Ao todo são 25 de ouro, 21 de prata e 2 de bronze.
GAUDÊNCIO HAMELAY- NO  Lubango