Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

TAAG vence Atlético

21 de Outubro, 2015

A ex-equipa principal da TAAG venceu o Atlético por 1-0, em jogo inaugural da 21ª jornada do Campeonato Provincial de Futebol de Luanda no estádio da Cidadela Desportiva, com o único golo da partida a ser rubricado por Ndisso, aos 52 minutos.Perante muito público, os primeiros 45 minutos foram quase dominados pelo Atlético, mas notava-se na equipa adversária um certo retraimento esquemático, pois pareceu-nos que o seu grande objectivo era fazer com que o Atlético se desgastasse fisicamente.

Neste período o Atlético teve várias ocasiões de golo, com realce especial para uma perdida de Meco, já nos minutos finais, em que, depois de ter fintado Matias em plena pequena área, atirou, fazendo a bola bater na trave.Logo após o árbitro apitou para que as equipas fossem para o descanso. A convicção de que a TAAG se apresentava a jogar retraída no primeiro tempo confirmou-se, plenamente, já que na segunda parte os "aviadores" entraram  decididos a virar o rumo do desafio.

Todavia, foi por pouco tempo, mercê de um certo agigantamento do adversário. Mas, estava mais do que visto que, enquanto o Atlético era uma equipa animada pelo seu poder de juventude, a TAAG passeava a sua maior maturidade e personalidade. Pois, só isto explica a forma calma como foi resolvendo as situações  criadas pelo adversário e, como por artes de magia, obteve o golo que lhe garantia a vitória final.

O Atlético pode queixar-se de si mesmo se o resultado não pendeu a seu favor, tais foram as oportunidades de que dispôs e perdeu. A TAAG demonstrou uma vez mais, ser uma equipa de campeonato.De realçar aqui a excelente exibição de Dédé durante os primeiros quarenta e cinco minutos e cerca de quinze do tempo complementar. A actuação do árbitro Pereira Lopes, não sofre qualquer contestação.

Na sequência,  na baixa da capital (Estádio dos Coqueiros), mais duas partidas referentes à 21ª jornada do Campeonato Provincial de Futebol de Luanda da 1º divisão em futebol foram disputadas. Na primeira partida da noite, o CPPA venceu o Bangú por 3-1. No outro jogo da noite,  o ex-Benfica e o FC de Luanda repartiram os pontosem disputa, com os marcadores em branco.

21ª  ronda do provincial
1º de Agosto e Sporting
completaram a jornada


O jogo entre o 1º de Agosto e o Sporting era um dos bons "pratos" da 21ª ronda do "provincial" de Luanda, pois, às duas equipas apenas, a conquista dos dois pontos interessava. O ex- Sporting lutava para qualificar-se para o "Nacional", enquanto o seu adversário tinha como meta a conquista do "Provincial".

Segundo foi dado a presenciar num dos últimos treinos realizados pelo ex - Sporting, nos "Coqueiros", o espírito reinante era de grande optimismo no seio dos jogadores e dirigentes em relação ao encontro marcado, mesmo conscientes de que o adversário dava pelo nome de "1º de Agosto".Nas hostes militares, e embora cientes das dificuldades que iriam encontrar, pois reconheciam valor no adversário, com jogadores de qualidade, jogadores e dirigentes acreditavam, também, na vitória.

figura
Treinador de futebol
Sami Matias

O talento e a competência profissional são pedras fundamentais para o alcance do sucesso. Foi com estes requisitos que o Coordenador para Futebol de Formação do Interclube, José Augusto Matias "Samy Matias", soube mostrar ao longo da época passada, na altura no comando do ASA, o que lhe valeu o titulo de Treinador Revelação do Girabola´2014. Natural de Luanda, 41 anos de idade, este profissional angolano é o convidado para a edição de hoje, do Angola 40 Anos. Samy Matias tal como outras referências do desporto nacional, abre-se para enriquecer a história  da nossa Independência.

Ter nascido um ano antes da proclamação da independência, lhe permite-lhe fazer, ainda assim, uma análise precisa do contributo do desporto para o desenvolvimento do país?
Na qualidade de Coordenador para Futebol de Formação do Interclube, um clube de grande respeito no futebol angolano e não só, tenho apenas a dizer que o desporto sempre teve um momento positivo ao longo destes anos de Independência Nacional.

Sente-se realizado enquanto desportista?
Acredito verdadeiramente que sim. Sinto-me realizado, apesar de não ter uma carreira como jogador de alto nível competitivo. Digo isto porque, não cheguei ao escalão sénior, porque em 1992 acabava de passar de classe (11ª ano) e tive apenas a preocupação de me dedicar a formação académica. Confesso que foi uma atitude difícil de tomar, porque tenho o futebol entranhado no meu ser, mas os conselhos do mister Sabino e Chico Afonso, este último chegou a mudar de clube do Petro de Luanda para o antiga TAAG (hoje ASA), me valeram apenas. Apostei na formação académica e profissional e consegui em Portugal fazer o "nível 1" e várias formações sobre o futebol, o que me deu a oportunidade de trabalhar pela equipa "Aboboda Central 32", até que em 2003 tive de regressar ao país. Mas ainda assim, ou melhor voltando ao tempo em 1998, fui assessor do professor Djalma Cavalcante e um ano mais tarde, fui também adjunto do professor Carlos Alinho. Infelizmente, hoje os dois já não fazem parte do mundo dos vivos. Com o professor Carlos Alinho orientei dois jogos, um no estádio dos Coqueiros em que conseguimos a vitória ( 4-0 ) ao Sporting de Cabinda e outro, vencemos por uma bola a zero ao Sonangol do Namibe, em sua própria casa.

A paixão pelo desporto está sempre presente na sua vida?

O desporto é uma verdadeira paixão que corre nas veias. Recordo-me que em 1989 fui encaminhado para estudar na província do Cuanza Sul, concretamente no Instituto Nacional dos Petróleos  e, curiosamente, acabei por desistir do curso, no mesmo ano. Seguidamente voltei a Luanda, onde me formei a partir do INEF. como sabem, este instituto está voltado para a formação de professores de educação física, algo que muito gosto de fazer.

Como é visto no futebol?
Os amigos, colegas e atletas trata-me apenas por mister, outros preferem simplesmente dizer treinador.

O que mais o marcou ao longo deste anos de Independência ao nível desportivo?

Ao longos destes 40 anos da nossa independência, confesso que o que mais me marcou foi, durante a época passada em que na qual, a partir da 5ª jornada assegurei o comando da equipa técnica do ASA. Uma experiencia muito marcante, procuramos mostrar a nossa competência profissional de onde acabei por ser distinguido com o título de Técnico Revelação do Girabola´2014.

O que é o futebol para si?

O futebol é tudo que sei fazer na vida, por isso a cada oportunidade que me é dada, vou procurando sempre fazer as coisas com muito amor. E quando assim acontece, nunca nos sentimos cansados e nem aborrecidos.
Hermínio Fontes