Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

"Taa Junho" movimenta centenas de petizes

17 de Junho, 2019

O Dia da Criana Africana celebrado todos os anos a 16 Junho

Fotografia: Domingos Cadencia /Edies Novembro

Duzentos e 76 atletas de taekwondo, com idades compreendidas entre os cinco e 14 anos das províncias do Huambo, Luanda, Benguela e Moxico, participaram, no sábado, na cidade do Huambo, na 1ª edição do torneio nacional infantil da modalidade, denominado "Taça Junho Criança".
A competição, enquadrada nas comemorações do dia da criança africana, que se  assinalou ontem, domingo, 16 de Junho, visou a massificação da modalidade a nível do país e incutir no seio dos petizes, os valores de cidadania e a sua sensibilização à prática de actividades socialmente úteis.
A província do Huambo, anfitriã da competição, participou com 219 atletas, agrupados em 10 equipas, já a província de Luanda com 22, em duas equipas, igual número da província do Moxico, ao passo que a província de Benguela com apenas 13, formando uma equipa.
O torneio, que encerrou ontem,  domingo, foi disputado nas categorias de Kyorugi, em competição e combate, poomsae, em postura e forma, e na categoria de kyokpal, apenas para demonstração.
O Dia da Criança Africana é celebrado todos os anos a 16 Junho, em memória das crianças negras que foram mortas nesse dia, em 1976, no Soweto - África do Sul, quando ergueram as suas vozes para recusarem que o ensino da língua affrikaans se tornasse obrigatório nos currículos escolares, reivindicavam o direito a aprender a sua língua materna (não apenas o Inglês) e melhoria da qualidade de ensino.
A manifestação durou 14 dias e pretendia ter carácter pacífico, mas acabou em extrema violência, tendo morrido mais de cem pessoas e ficando feridas cerca de mil crianças e jovens que estavam em pleno exercício de um direito fundamental, reconhecido pela Declaração Universal de Direitos Humanos.
A institucionalização do Dia da Criança Africana, a 16 de Junho, resultou de uma iniciativa da União Africana (UA), em 1991, para homenagear essas vítimas e para proteger as crianças do continente.