Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Taça Sayovo deve merecer mérito no IPC

27 de Fevereiro, 2015

Leonel da Rocha Pinto propõe mais valorização da Taça Sayovo no país para convencer a IPC

Fotografia: José Soares

O responsável, que falava no final da disputa da décima edição da competição, em homenagem ao atleta nacional de maior referência do desporto adaptado, afirmou tratar-se de uma reflexão que se pretende conjunta com o Ministério da Juventude e Desportos (MJD), na qualidade de tutora do evento.

"Uma dezena de edições já disputadas, a maior parte delas pautadas por excelente nível organizativo e com recordes de participações conferem o mérito por direito próprio de a Taça Sayovo constar do calendário do Comité Paralímpico Internacional, e qualificar aos Jogos Paralímpicos e Africanos", sustentou. Leonel Pinto disse tratar-se de uma competição instituída em 2005 e inscrita no Orçamento Geral do Estado (OGE) e que urge a elaboração de um plano estratégico para conferir-lhe dimensão maior, partindo de uma melhor valorização interna e depois a inscrição no Comité Paralímpico Internacional.

 O também presidente do Comité Paralímpico Africano reclama por maior reconhecimento à figura de José Armando Sayovo e recorre ao histórico do atleta nas competições mundiais para se justificar.

"Estamos a falar de José Armando Sayovo, uma figura de destaque no país e a nível internacional. É até hoje o melhor embaixador do desporto angolano e símbolo do investimento do Estado  nas  pessoas portadoras de deficiências", disse.

Pelo menos 420 atletas entre federados e não federados de 17 províncias do país disputaram a competição anual, na nova Marginal de Luanda, num percurso de dez quilómetros.

José Sayovo é o atleta mais medalhado do desporto adaptado em Angola, com subidas ao pódio em três edições consecutivas dos Jogos Paralímpicos, designadamente Atenas2004, Pequim2008   e Londres2012.  O velocista deficiente visual (classe T11) acumula um pecúlio de 48 medalhas nas competições internacionais, sendo 25 de ouro, 21 de prata e duas de bronze. O seu maior momento desportivo foi em Atenas, quando conquistou a tripla medalha de ouro e respectivos recordes nos 100, 200 e 400 metros.