Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tapete impulsiona Associao

Francisco Carvalho - 22 de Dezembro, 2018

Sensei Eduardo Diakubikua representou Angola no Congresso da FIAS em Bucareste

Fotografia: JOO GOMES

Angola vai contar nos próximos meses com mais uma colectividade desportiva. Trata-se da Associação Provincial de Sambo de Luanda. A instituição está a ser \"cozinhada\" por um grupo de jovens apaixonados pelo desporto de combates. Reunidos a meio do mês corrente, no Colégio Luz da Sabedoria, no bairro Prenda, mais de 73 membros, entre atletas e voluntários, elegeram a Comissão Instaladora, composta por três membros. Dilungudi Afonso foi eleito coordenador.
A constituição da Associação provincial resulta do pedido da Federação Internacional Amadora de Sambo (FIAS), que reunido em Congresso, em Bucareste, condicionou a oferta de tapetes às Academias de Angola. A FIAS exige a constituição de uma Federação, \"que serve de interligação e de execução da política desportiva do Estado\".
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Sensei Eduardo Diakubikua, na qualidade de representante de Angola (país observador) no Congresso, assegurou que \"a regra é aplicável a todos os associados\". Para dar corpo à instituição, Eduardo Diakubikua investiu na diplomacia desportiva e a Federação Internacional Amadora de Sambo ofereceu 12 pares de quimones, dois pares de luvas, cinco pares de botas e dois capacetes aos atletas nacionais.
Apresentado na reunião de constituição da Comissão Instaladora, os quimones serviram de incentivo a dezenas de jovens interessados em ingressar na modalidade. A medalha de bronze ao peito de Singue Kinkete, conquistado no Africano de Tunis\'2018, foi outro estimulante. 
O Sensei Eduardo Diakubikua assegurou que \"com a criação de uma Associação, o Sambo vai ser melhor desenvolvido em Luanda e nas restantes províncias\". A presença massiva de jovens interessados nesta modalidade \"garante crescimento\".
Entre os atletas e voluntários presentes ao acto da constituição da comissão instaladora, destacam-se os de judo (activos e ex-integrantes). Em Luanda, o Sambo é praticado em quatro academias, localizadas nos Distritos da Petrangol, Sapú, Prenda e Palanca. Mais de 200 atletas estão inscritos.
No percurso histórico, Angola esteve presente no Campeonato Mundial de Japão, em 2014. Em 2015, Eduardo Kano levou a bandeira de Angola ao terceiro lugar do pódio do campeonato Africano, em Marrocos. Em 2018, foi a vez de Singue Kinkete hastear a bandeira de Angola no terceiro lugar de pódio do Africano. Tunis foi o palco da consagração. No ano corrente, Angola participou também no Mundial de Bucareste com Singue Kinkete e Francisco Lucas.
Angola falhou a participação nos Africanos de 2016 e 2017 por dificuldades financeiras.
Sambo é uma arte marcial mista moderna que se desenvolveu na ex-União Soviética no início do século XX. É reconhecido como desporto pela URSS desde 1938 e engloba técnicas de várias disciplinas de combate.
A palavra SAMBO é um acrónimo em russo (SAMozashchita Bez Oruzhiya) que significa \"autodefesa sem arma\". É gerido, mundialmente pela FIAS (Federação Internacional Amadora de Sambo). Em África, é coordenada pela CAS (Confederação Africana de Sambo) que tem a sede social em Marrocos.