Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tchaco coloca Angola na montra mundial

Honorato Silva - 05 de Dezembro, 2019

Os vrios modelos apresentados fascinaram os presentes que no resistiram tentao de efectuar a compra no local

Fotografia: Jhon Primedeil

A Tchaco, bicicleta angolana certificada em Agosto pela União Ciclista Internacional (UCI), entidade máxima do ciclismo mundial, foi apresentada sábado à tarde, numa cerimónia realizada no Espaço Taliana, em Talatona, e testemunhada por boa parte dos impulsionadores da modalidade em  Angola.
Fruto do casamento entre a LinkConnection, empresa de direito angolano, e o "design" português Fábio Oliveira, a marca passou com distinção na exigente bateria de testes de qualidade, destinados a aferir a resistência e durabilidade da fibra de carbono, material usado no fabrico das bicicletas que integram o pelotão das grandes provas mundiais.
Lançada no mercado em 2013, no segmento das tecnologias de informação, por força do ramo profissional do seu mentor, o engenheiro informático Carlos Faria, a LinkConnection abraçou em 2017 o ciclismo. No início como fornecedora de material desportivo, com destaque para bicicletas, e depois na componente de competição, associada à Orped Angola de Bruno Casimiro, antigo campeão nacional de estrada, hoje especialista em cronometragem.
Os vários modelos apresentados fascinaram os presentes, que não resistiram à tentação de efectuar a compra no local. José Gonçalves “Comando”, uma das referências dos Master 50, ficou com a “rainha da noite”, a Tchaco de cor castanha metalizada, equipada com sistema de transmissão Di2 (sem fio), jantes de perfil alto e travões a disco.
Dada a necessidade de encontrar um nome mais identificado com Angola, pelo facto de LinkConnection, inspiração do espaço informático, remeter para o estrangeiro, por força do inglês, Faria foi a Cabinda, sua terra natal, e do ibinda (fiote) apostou em Tchaco, teu em português.
“Tínhamos de baptizar a nossa marca, a primeira em África e a segunda dos países de expressão portuguesa, depois de Portugal, certificada pela UCI, com algo que identificasse Angola. A LinkConnection foi pioneira na incorporação da estampagem da samakaka nos equipamentos desportivos, por isso escolhemos tchaco, teu, que na verdade é nosso de Angola. Vamos agora apostar na internacionalização”, explicou Carlos Faria.
Na cerimónia prestigiada pela Federação Angolana, representada por Justiniano Araújo, vice-presidente, foi observado um minuto de silêncio em memória de Alberto da Silva “Pepino”, mentor espiritual da família do ciclismo, e distinguida a equipa Continental BAI Sicasal Petro de Luanda, vencedora do Tour do Burkina Faso. Bruno Araújo, acompanhado dos colegas Dário António e Gabriel Cole, ofereceu o troféu e a camisola branca conquistada na prestigiada prova africana, numa tarde animada pelos músicos Joelson Missola e Ivan Alekxei.