Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tcnicos garantem hegemonia em frica

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 07 de Fevereiro, 2019

Jos Chuma, tcnico campeo nacional ao servio da equipa feminina do 1 de Agosto

Fotografia: Edies Novembro

O futuro do andebol feminino em Angola está relançado para garantir a hegemonia no continente africano por longos anos. A constatação é dos treinadores das equipas participantes dos campeonatos nacionais da modalidade que decorreram na cidade de Lubango, província da Huíla.
Para José Chuma, técnico campeão nacional ao serviço da equipa feminina do 1º de Agosto, o nível técnico apresentado é óptimo, apesar de se observarem alguns furos superáveis.
\"Algumas equipas estão acima das outras, mas com um nível aceitável. O futuro do andebol está relançado no sector feminino. A nossa hegemonia em África está garantida. No mundo, precisamos de apostar mais um pouco, para melhorar a nossa prestação\", disse Chuma.
William de Almeida, técnico campeão nacional pela equipa masculina do Interclube, manifestou-se feliz no que respeita a qualidade exibida.
\"Os colegas das outras províncias não estão a facilitar o trabalho de formação nos escalões de jovens. Estamos equiparados, sobretudo, Luanda, Uíge, Huila e Benguela. Foi difícil para  conquistarmos o título de campeão nacional diante da poderosa equipa do Renascimento do Uíge\", reconheceu.
Para William de Almeida, \"as equipas demonstraram boa qualidade competitiva, técnica e têm o futuro garantido\" nos escalões de juniores.
Do lado oposto está Luís Chaves. O treinador da equipa feminina do Petro de Luanda sustenta que \"a qualidade técnica se mantém fraca\" e a inovação da Federação Angolana de Andebol não teve influência no resultado final. As equipas podiam buscar jogadores de outras equipas para equilibrarem os jogos.
\"Não se constatou isso. Esse foi o campeonato mais fraco em relação ao da edição anterior  na província do Bié\", considerou.
Para Luís Chaves, Luanda e Benguela continuam a ser os pólos de desenvolvimento fortes do país. Para inverter o quadro, defendeu a formação de treinadores de outras províncias para melhorar  a qualidade de treinos das equipas.
\"Isso vai facilitar a melhorar a qualidade dos jogos. Estamos à frente da Associação de Treinadores de Andebol. Vamos viajar pelas províncias do país a dar formação a outros treinadores para evitar os jogos desequilibrados\", salientou o membro da Associação.