Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Técnico valoriza empenho de atletas

04 de Outubro, 2013

O Estágio da Selecção Nacional está enquadrado no programa de preparação para os grandes compromissos desportivos do país

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os atletas que a Federação Angolana de Atletismo vai enviar na segunda-feira, para estagiar na cidade brasileira de Presidente Prudente, têm performances que indicam uma grande margem de progressão, defendeu o técnico Zé Santos, que vai acompanhar o grupo.

“É um grupo de atletas que tem um futuro risonho e que pode representar o país condignamente na área de velocidade e estafetas”, garantiu.
O treinador referiu que Prisca Baltazar, Osvaldo Alexandre, Mauro Gaspar, Filipe Ngola, Florisvaldo Estêvão, Márcio Neto e Moisés Pedro não vão vompetir durante o estágio.

“Vai ser um estágio mais voltado para a avaliação dos níveis dos atletas, também para que se sintam inseridos naquilo que é a prática do atletismo fora das nossas fronteiras”, argumentou o treinador, que esteve ligado às várias selecções portuguesas da modalidade. Apesar do cenário descrito pelo seleccionador, Prisca Baltazar, campeão nacional dos 200 metros, pensa que o estágio pode ajudar no desenvolvimento de performances e tentar a melhoria das marcas pessoais na nova época.

“Penso que vai ser pouco tempo de estágio, o ideal seria uns três meses. Contudo, vamos dar o tudo de nós para ver se consiguimos obter a melhoria das nossas marcas na nova época”, disse.

Prisca Baltazar, que falou em nome dos seleccionados, disse que o grupo está motivado de forma a fazer deste estágio uma oportunidade, “para mostrar aquilo que realmente valem os atletas angolanos”.

Durante o estágio no Brasil, os atletas seleccionados vão trabalhar conjuntamente com outros angolanos que já cumprem estágio naquele país há mais tempo, como são os casos de Felismina Cavela, Manuel António, Madalena Sachimbemba, Fernando Franqueira e Kevin Oliveira.

O estágio no Brasil, de acordo com o presidente da Federação, visa preparar os atletas angolanos para os compromissos do próximo ano, como os Jogos da Lusofonia, Jogos Ibero-Americanos e o Campeonato Africano.


GP EMAXICOM
Interclube da Huíla
compete em Luanda


A ambição de obter uma participação digna na São Silvestre de Luanda, prova internacional de atletismo, que se disputa anualmente no último dia do ano, está a estimular a preparação do Núcleo do Interclube da Huíla. O grémio aposta num trabalho cuidado e atempado, tendo em vista a conquista da melhor classificação de sempre. A equipa técnica do clube, uma das principais potências do atletismo em Angola, tem as atenções voltadas o aperfeiçoar dos aspectos técnicos e físicos dos atletas nesta fase inicial dos trabalhos da época de 2013, aberta no dia 17 de Setembro.

O técnico do núcleo do Interclube da Huíla, Augusto Diogo “Seco”, deixou expresso que a estratégia para a potenciação das capacidades e níveis dos atletas vai passar por disputar e aproveitar o maior número de provas oficiais de estrada antes da São Silvestre, além do programa de treinos.

O técnico e principal impulsionador do atletismo na Huíla referiu que a participação dos atletas nas provas serve para relançar a prontidão e os níveis pessoais dos atletas. Nesse sentido, o núcleo da Huíla compete amanhã, em Luanda, no Grande Prémio de atletismo Emaxicom, prova com uma distância de 10 quilómetros. O técnico assegurou que os atletas vão disputar a prova sem uma preparação específica, por estarem a efectuar trabalhos de pré-época.

“Temos a necessidade de competir, daí que as provas sirvam para engrandecer o cariz técnico e físico dos atletas nesta fase de pré-época. Os atletas relançam as capacidades nessas competições a pensar na São Silvestre, o objectivo principal”.
BENIGNO NARCISO, NO LUBANGO


ATLETISMO
Grande Prémio Emaxicom
corre amanhã em Luanda


A segunda edição do Grande Prémio Emaxicom em atletismo sai amanhã às ruas de Luanda, com cerca de 70 corredores inscritos. A corrida pode contar com alguns dos principais nomes do atletismo angolano de fundo, à excepção de João Alexandre, que vai representar o país na meia-maratona regional marcada para domingo, nas Ilhas Comores.

“Os clubes estão notificados e pensamos que podem aderir a esta prova. As inscrições decorrem na sede da Federação e na Associação de Luanda”, anunciou Carlos Rosa, presidente da Federação Angolana de Atletismo.

Francisco Caluvi, atleta do Interclube e vencedor da primeira edição do GP Emaxicom, está a caminho de Luanda para participar na prova. Com Francisco Caluvi, vêm Avelino Dumbo e Cuvíngua.

O GP Emaxicom vai correr um percurso de cerca de 8,5 quilómetros, partindo da sede da Emaxicom, na Avenida Rei Katiavala, e tem meta junto ao Memorial Agostinho Neto, na zona da Praia do Bispo, na nova Marginal.

O quadro de prémios, de acordo com Carlos Rosa, contempla prémios monetários aliciantes. Na classe dos atletas federados são premiados os seis primeiros classificados. Para amadores, são contemplados os três primeiros, o mesmo número a premiar na categoria dos atletas paralímpicos.

São premiados, ainda, os atletas mais velhos nas classes masculina e feminina. A primeira edição do GP Emaxicom foi realizada em 2011 e vencida por Francisco Caluvi. 
SILVA CACUTI

GP EMAXICOM
“Polícias” huílanos
projectam São Silvestre

A ambição de obter uma participação digna na São Silvestre de Luanda, prova internacional de atletismo, que se disputa anualmente no último dia do ano, está a estimular a preparação do Núcleo do Interclube da Huíla.

O grémio aposta num trabalho cuidado e atempado, tendo em vista a conquista da melhor classificação de sempre. A equipa técnica do clube, uma das principais potências do atletismo em Angola, tem as atenções voltadas o aperfeiçoar dos aspectos técnicos e físicos dos atletas nesta fase inicial dos trabalhos da época de 2013, aberta no dia 17 de Setembro. O técnico do núcleo do Interclube da Huíla, Augusto Diogo “Seco”, deixou expresso que a estratégia para a potenciação das capacidades e níveis dos atletas vai passar por disputar e aproveitar o maior número de provas oficiais de estrada antes da São Silvestre, além do programa de treinos.

O técnico e principal impulsionador do atletismo na Huíla referiu que a participação dos atletas nas provas serve para relançar a prontidão e os níveis pessoais dos atletas. Nesse sentido, o núcleo da Huíla compete amanhã, em Luanda, no Grande Prémio de atletismo Emaxicom, prova com uma distância de 10 quilómetros. O técnico assegurou que os atletas vão disputar a prova sem uma preparação específica, por estarem a efectuar trabalhos de pré-época.

“Temos a necessidade de competir, daí que as provas sirvam para engrandecer o cariz técnico e físico dos atletas nesta fase de pré-época. Os atletas relançam as capacidades nessas competições a pensar na São Silvestre, o objectivo principal”.                             
 BENIGNO NARCISO, NO LUBANGO


Epesse vence corrida de fundo


O fundista do Clube Militar das Forças Armadas Angolanas, 1º de Agosto, Gabriel Epesse, venceu a primeira corrida alusiva ao Dia das Finanças em Angola, comemorado ontem em todo o país. A prova de 10 quilómetros no Cuito teve o tiro de largada no bairro Caluapanda e terminou na sede provincial das Finanças, na rua Sagrada Esperança.

Paulino Jacinto, das Organizações Savita, ocupou o segundo lugar, enquanto Manuel Cassinda terminou em  terceiro lugar.

SENHORAS
Na prova das senhoras, onde participaram  somente duas atletas, Teodora Caialo venceu os 10 quilómetros à frente de Aurora Eulamba. Na classe feminina paralímpica, participaram igualmente duas fundistas.  Cecília Mbuia conquistou o primeiro lugar, deixando para trás Lucrécia Salomão.

Na classe paralímpica masculina, Alberto Lussate ficou no primeiro lugar. João Feliciano ocupou o segundo lugar, à frente de Marcelino Caquarta.

PROVA ANUAL
A prova de atletismo pode ter periodicidade anual na província do Bié. A intenção foi manifestada na cidade do Cuito pelo chefe de departamento de recursos humanos da Delegação Provincial das Finanças, Lucas Chinhima.

“A corrida foi a todos os níveis corada de êxito. Acredito que o número reduzido de atletas deve-se ao facto de ser um dia normal de trabalho, mas superou as expectativas. Por isso, pensamos em realizar uma prova do género todos os anos”, afirmou  Lucas Chinhima.

A primeira corrida pedestre de 10 quilómetros (meia-maratona) reuniu 26 corredores entre atletas comuns e paralímpicos, percorrendo algumas ruas da cidade do Cuito.
JOÃO CONSTANTINO | CUITO