Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Temos casa prpria

05 de Agosto, 2019

Atletas viveram momentos de satisfao por concretizar um desejo

Fotografia: Jornal dos Desportos

Temos casa própria\". Foi assim, alto e em bom som, que os campeões mundiais de futebol com muletas juntaram o fôlego possível para gritar de satisfação pela realização do sonho da casa própria ao mesmo tempo que exibiam e \"xocalhavam\" com os chaveiros à mão. Cada um dos integrantes da selecção recebeu, no sábado, uma residência do tipo T3 na centralidade do Zango 5 como recompensa pela conquista do campeonato mundial conseguida a 4 de Novembro de 2018, em Guadalajara, México. É verdade. É realidade. De papel passado! Aqueles jovens, cujas vidas em algum momento ficaram marcadas por infortúnio ou história triste que os levou a ter de se socorrer da canadiana para caminhar ou jogar, hoje já podem dar endereço das moradias. Até ao dia 2 de Agosto, viviam em casas arrendadas com as mamãs, manos, tios e avôs, mesmo já em idade adulta. Segundo apurámos, apenas o treinador e um dos atletas tinham casa própria. Não faltaram discursos de ocasião. Textos curtos, prolongados por sorrisos, expressaram a gratidão por tão grande \"bênção\". \"Esta data jamais sairá dos nossos corações. Nunca vamos esquecê-la. Aproveitamos para agradecer ao Comité Paralímpico Angolano, ao Ministério da Juventude e Desportos e a todos os que nos têm ajudado a concretizar os nossos sonhos\", disse João das Dores Chiquete, um dos beneficiários, em nome dos colegas. \"Temos casa. É o que vou dizer à minha família\", começou a dizer Celestino Elias, (MVP) melhor jogador do mundo, para depois acrescentar em tom festivo: \"Já liguei à esposa, ao pai, já cantei, abanei as chaves e deixei o barulho delas falar\". Além dos membros da equipa técnica, foram contemplados os guarda-redes Jesus Mateus e Sebastião Cacumba, os defesas  Francisco Amaro, Celestino António, Neves Undungo e Jesus Morais, os médios Hilário Cafula, Laurindo Lucamba e os atacantes Heno Guilherme, José Candeeiro, Sabino Joaquim e João Chiquinte. O prémio foi entregue pelo Secretário de Estado para a Política Desportiva, Carlos de Almeida. Na ocasião, o governante realçou o significado do acto. \"Vem responder à compensação por uma conquista que não acontece todos os dias. É a compensação pelo trabalho, esforço e abnegação que este grupo mostrou em nome de Angola.  Ficámos satisfeitos sempre que os jovens realizam o sonho da casa própria, que tem um significado na definição das suas perspectivas para o futuro. Para nós é, também, como o alcance do objectivo na integração, na inclusão, no respeito, na compensação daquilo que são os resultados desportivos que Angola tem alcançado, em particular, este título mundial\", disse. António da Luz, que esteve no acto a representar o Comité Paralímpico Angolano, referiu-se à satisfação pelo cumprimento de mais uma etapa no cumprimento dos objectivos da instituição.