Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tenistas reclamam de machismo

21 de Julho, 2015

Tenista americana e líder Mundial também teceu críticas à organização de Wimbledon

Fotografia: AFP

O Torneio de Wimbledon, terminou no passado dia 12 do corrente, mas deixou marcas negativas. Algumas tenistas de peso, fizeram duras críticas à organização de Wimbledon, o mais tradicional torneio do circuito. Jogadoras como a actual líder do ranking, a norte-americana Serena Williams e outras duas ex-número 1 do mundo, a dinamarquesa Caroline Wozniacki e a bielorrussa Victoria Azarenka, reclamam  de machismo na competição por parte dos organizadores e até da imprensa inglesa.

Wozniacki criticou o facto da organização ter dado prioridade às partidas dos homens nas quadras principais do torneio.“Eu adoro jogar nas grandes quadras. Você treina duro para jogar nelas, as mulheres não têm tantas oportunidades de jogarem lá”, disparou a dinamarquesa em entrevista reproduzida pelo UOL.

Serena Williams fez coro ao que disse a amiga Caroline Wozniacki e pediu mais igualdade nos torneios.“Ainda estamos a lutar contra isso. Estamos a fazer progressos, mas ainda há mais para se fazer. Espero, que no futuro, igualem o número de partidas. E não acho, que isso se limite a Wimbledon, temos o mesmo problema em outros torneios”, afirmou a número 1 do mundo.

Victoria Azarenka também reclamou sobre o tratamento diferenciado dado para homens e mulheres. O alvo foi a imprensa, que deu foco aos gritos dados pelas jogadoras nas partidas.“Isso é tão irritante, pois os homens também gritam. Treinei perto de Rafael Nadal nesses dias e ele grita mais alto do que eu e ninguém fala. Por quê? Eu não entendo isso. Tanto homens como mulheres se esforçam ao máximo na quadra, acabam por fazer barulho”, disse a bielorrussa, dizendo que os destaques precisam de ser outros.

“Temos de deixar essa coisa de barulho de lado, assim como o jeito que nos vestimos. Os jogos demonstram ser mais importante do que isso. Temos de deixar, isso, um pouco de lado e dizer “meu Deus, Serena fez 24 aces hoje”. Algum dos garotos fez isso? Vamos olhar para as coisas boas. Párem de trazer temas ridículos – reclamou Azarenka.

TAÇA  DAVIS
Grã-Bretanha
nas meias-finais


Andy Murray levou a Grã-Bretanha, para a sua primeira meia-final da Taça Davis, em 34 anos, ao conquistar o ponto decisivo na eliminatória com a França, finalista no ano passado, frente a Gilles Simon.O número três mundial, desafiou o desgaste do seu terceiro encontro, em três dias na relva de Queen's, para num encontro emocionante, impor-se por 4-6, 7-6 (7-5), 6-3 e 6-0 a Simon, somar o seu 23.º triunfo em 25 encontros de singulares pela sua selecção e garantir a primeira vitória britânica sobre os franceses desde 1978,  a primeira meia-final desde 1981.Depois de algumas lágrimas de alegria, Murray, ganhou os dois encontros de singulares e o de pares ao lado do irmão Jamie, disse, que tinha usado as suas últimas reservas de energia para conquistar o 3-1 decisivo.