Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tivemos vrios embaraos mas o balano positivo

30 de Agosto, 2018

Eliseu Major critica ausncia de dirigentes huilanos no pavilho de Nossa Senhora do Monte

Fotografia: Aro Martins | Edies Novembro

 

O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol de Salão (FAFUSA), Eliseu Major, considerou positivo, depois de 10 dias de muito trabalho, a realização do Campeonato  Nacional da modalidade, em ambos os sexos, na cidade do Lubango, que terminou com a consagração da Coprat (masculino) e 4 de Junho do Huambo (feminino).
“O balanço que podemos fazer é positivo, embora tenhamos vivido nos primeiros momentos da prova alguns problemas, mas que em nada beliscaram o desenvolvimento das equipas e até o desempenho das pessoas, que participaram de uma forma indirecta ou directa. Mas ainda assim, permita-me dizer que do ponto de vista desportivo, gostamos”, ressaltou.
A ausência dos membros do governo da Huíla no palco da competição, realce para o director provincial do Gabinete do Turismo, Cultura, Juventude e Desportos (Joaquim Barbante Tyova), acabou por manchar a competição, na visão de Eliseu Major, pois, não receberam o apoio desejado. 
“Ficou manchado, o facto de que durante este período (realização do campeonato), não vimos de alguma maneira a presença do director provincial do Gabinete do Turismo, Cultura, Juventude e Desportos no recinto de jogos, muito menos dos governantes da província da Huíla. E, isso, não é bom. Quando nos propusemos organizar uma competição numa determinada província, é porque temos o respaldo legal de quem governa. E, também, o facto de nós termos trazido para a província mais de 650 participantes”, lamentou.
De acordo com o dirigente, a prova envolveu um número bastante grande de pessoas,  “deviam ter um pouco mais de respeito, de quem governa a província”. 
Sustentou, que neste particular, “a nossa nota é negativa, por estes factos que acabamos de avançar” e salientou, que mesmo assim, estão de parabéns os participantes a esse evento e também a população da Huíla, “sem perder de vista aquilo que acabei de dizer, o facto de não termos contado com o apoio do governo local, muito menos a presença de quem governa a província”.
Destacou, que o nível competitivo das equipas, sobretudo, o facto de neste campeonato haver novos campeões, realce para a formação feminina do 4 de Junho, do Huambo, que pela primeira vez conquistou o título. 
“Tivemos uma equipa, que pela primeira vez que participa em um campeonato nacional, no caso, a Marinha de Guerra de Luanda que chega à final, e é uma digna vencida.  E, temos a Coprat, que recupera um titulo perdido há muitos anos. Isso, significa dizer que o balanço para nós é positivo, atendendo o facto da vice -campeã e a campeã da época passada,  não terem subido ao pódio. Para nós, é bastante positivo, também, porque o melhor jogador da prova é um atleta dos escalões de Sub-18, que participou na qualificação aos Jogos Olímpicos da Juventude. Isso, de todo é bastante positivo”, exteriorizou.