Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tocha séra exposta nos EUA pouco antes do revezamento

29 de Abril, 2016

Principal patrocinadora do Revezamento da Tocha Olímpica, a Coca-Cola lançou, na quarta-feira, uma exposição de tochas históricas na embaixada brasileira em Washington

Fotografia: AFP

Principal patrocinadora do Revezamento da Tocha Olímpica, a Coca-Cola lançou, na quarta-feira, uma exposição de tochas históricas na embaixada brasileira em Washington, capital dos Estados Unidos. Os objectos ficarão expostos durante toda a semana, em evento aberto ao público.

Ao todo dez tochas olímpicas poderão ser desfrutadas: as dos Jogos de Verão de Atlanta 1996, Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012, e dos Jogos de Inverno de Nagano 1998, Salt Lake City 2002, Turim 2006, Vancouver 2010 e Sochi 2014.

A tocha utilizada nas Olimpíadas do Rio de Janeiro também estará exposta. O revezamento do objecto, que começa na próxima terça-feira, em Brasília, terá 2400 condutores ao longo de uma viagem que vai durar 95 dias e passará por 329 cidades brasileiras.

O Comité Olímpico Brasileiro recebeu da Grécia, na quarta, o tocha com a chama olímpica, principal símbolo da competição, em cerimónia realizada no estádio Panatenaico, em Atenas.


BASQUETEBOL FEMININO
Selecção
norte-americana
convocada ao trabalho


A selecção feminina de basquetebol dos Estados Unidos, actual penta-campeã olímpica, foi convocada pelo técnico Geno Auriemma para os Jogos do Rio. Foram definidas as 12 atletas que vão buscar o sexto ouro seguido, e o oitavo na história. Destaque para a jovem estrela Elena Delle Donne, que disputa a sua primeira Olimpíada.

Entre os destaques da convocação, Tamika Catchings, tricampeã olímpica, irá em busca do seu quarto ouro, aos 36 anos. A experiente atleta não disputou o último Mundial, vencido pelos Estados Unidos, em 2014, mas agora estará presente na principal competição do mundo. Sylvia Fowles, que participou dos Jogos em Pequim e Londres, também foi chamada para tentar mais um ouro.

O treinador italiano da selecção falou, ao site oficial da Fiba, sobre a dificuldade de seleccionar apenas 12 nomes, entre vários talentos do país. “É sempre muito difícil escolher 12 atletas, entre tantas jogadoras de enorme talento”, disse Auriemma, que explicou quais foram os principais motivos para a decisão: “As escolhidas são uma mistura de experiência, liderança e costume em ganhar várias medalhas de ouro”.