Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Total leva Angola s competies

Silva Cacuti - 02 de Abril, 2017

Em Julho de 2016, os amantes da modalidade assistiram o inslito episdio, que foi a Federao Angolana de Andebol (Faand) solicitar a um clube para representar a seleco nacional de cadetes, no campeonato mundial, que se disputou na Eslovquia.

Fotografia: Jos Cola

O documento renovado, foi rubricado na sexta-feira, por Pedro Godinho, presidente da Faand e Laurent Maurel, director-geral da petrolífera,  tem a particularidade  diferentemente dos acordos que vinculam as duas instituições desde 2012, incluir assistência aos compromissos da selecção nacional de cadetes feminino.

Ao colocar a tinta no papel, Godinho e Maurel selaram o apoio à totalidade das selecções nacionais femininas. Primeiramente, a empresa patrocinava apenas a selecção sénior feminina, depois incluiu a júnior.

Ao tomar a palavra no acto, Pedro Godinho disse que a parceria  permite levar o nome do patrocinador a patamares mais altos, que aqueles já granjeados pelas selecções nacionais.

\"Esta parceria de quatro anos, vai ajudar a dar corpo aos projectos que a Faand tem, pois já não nos conformamos com títulos africanos. Somos a selecção mais titulada de África,  começamos a ter ambição de levar connosco a vossa logo marca, para patamares mais altos... Com mais apoios, podemos, num espaço de tempo muito curto, aproximar-nos da zona de medalhas , em jogos olímpicos e mundiais\", prognosticou.

O líder da Faand, tranquilizou o representante da petrolífera, em relação ao cumprimento das contrapartidas constantes do contrato.

\"Nós, enquanto instituição, por via das nossas atletas, faremos todos os possíveis para cumprir com todas as contrapartidas previstas no acordo, que se consubstanciam na utilização da vossa logomarca  em todas as actividades\", garantiu.

O ministro da Juventude e Desportos prestigiou com a presença, a assinatura do acordo, felicitou as partes e realçou que parcerias do género aliviam o desembolso do Orçamento Geral do Estado. \"O país está a entrar num novo ciclo, que obriga a procurar alternativas extras, no sentido de não parar e conseguir soluções, que  assim nos capacitem para níveis de desenvolvimento mais altos\", disse.