Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tour de Frana comea hoje

07 de Julho, 2018

O vencedor da Volta a França em bicicleta de 2018 será, previsivelmente, aquele que revelar mais capacidade para ultrapassar os obstáculos de montanha propostos, nomeadamente nove subidas de categoria especial. No entanto, os curtos 31 quilómetros de contra-relógio individual, que surgem no penúltimo dia, poderão ser o fiel da balança desta 105.ª edição do Tour, que vai para a estrada no sábado e termina no dia 29 de Julho, após um total de 3.351 quilómetros, divididos por 21 etapas.
Foi assim que, em 2017, o britânico Chris Froome (Sky) assegurou a sua quarta vitória, depois de ter chegado ao \'crono\' de Marselha com menos de meio minuto de vantagem, sobre os mais directos perseguidores.
O traçado deste ano, que parte de Noirmoutier-en-l\'Ile, na região oeste francesa, oferece uma primeira semana de etapas planas, propícias aos \'sprinters\', pontuada por um \'crono\' por equipas e algumas tiradas ligeiramente acidentadas a desafiarem não só os \'velocistas\', mas também os corredores de ataque.
Serão nove jornadas de \'aquecimento\', que conduzirão a caravana ao extremo norte do país e ao primeiro dia de descanso, a anteceder uma sequência de três etapas de alta montanha, nos Alpes, a primeira das quais numa ligação entre Annecy e Le Grand Bornand, com uma contagem de categoria especial e duas de primeiras.
Sucedem-se duas chegadas em alto, uma a La Rosiérie, na 11.ª etapa, antecedida de duas subidas de categoria especial, e outra ao Alpe d\'Huez, na 12.ª tirada, aquela que apresenta o maior desnível acumulado da \'Grande Boucle\', 5.010 metros repartidos essencialmente entre Col de la Madeleine, Col de la Croix de Fer e a emblemática subida final, todas de categoria especial.Após três dias de \'semitréguas\', nos traiçoeiros percursos pelo Maciço Central a recomendar atenção aos favoritos - nomeadamente na acidentada chegada a Mende, na etapa 14, e a subida do Pico de Nore e a descida final para Carcassonne, no dia seguinte - o pelotão chega aos Pirenéus.