Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tour retoma o contra-relógio

01 de Março, 2017

Etapa inaugural com 195 quilómetros termina em Fontenay-le-Conte

Fotografia: AFP

A Volta a França, em bicicleta, vai recuperar o contra-relógio por equipas na edição de 2018, cuja partida vai ser na ilha de Noirmoutier, volta a utilizar o caminho submersível da Passagem de Gois, anunciou a organização.

O \'crono\' colectivo acontece na terceira etapa, e disputa-se em Cholet, utiliza-se praticamente o mesmo traçado do exercício individual ali realizado em 2008, indicou o director do Tour, Christian Prudhomme, que apresentou as linhas principais do início da corrida do próximo ano.

O contra-relógio passa a ter estradas largas, mas com várias pequenas subidas, uma das quais de 600 metros com um desnível de 8 por cento, a oito quilómetros da meta.

\"As equipas têm de ter cuidado para não perder corredores, porque há mudanças de ritmo constantes, troços em que podem rodar a até 90 km/hora seguidos de outros, em que dificilmente se chega aos 40\", disse o director de prova, Thierry Gouvenou.

Depois de excluído na edição de 2017, que começa a 01 de Julho, em Dusseldorf, na Alemanha, o contra-relógio por equipas regressa no próximo ano, depois de duas etapas essencialmente planas, a primeira, sai da ilha de Noirmoutier e utiliza a famosa Passagem de Gois, uma estrada que fica submersa duas vezes por dia, por acção das marés e que recebeu o Tour em 2011.

A etapa inaugural, com 195 quilómetros, termina em Fontenay-le-Comte, e é propícia a um final disputado ao \'sprint\', tal como a segunda tirada, que liga Mouilleron - Saint -Germain a La Roche - sur -Yon, na distância de 185 quilómetros.

Depois do \'crono\' por equipas do terceiro dia, a quarta etapa parte de La Baule, fica por conhecer o local de chegada, assim como o restante itinerário do Tour, que vai ser apresentado em 17 de Outubro, em Paris.