Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Transferências podem mudar

Silva Cacuti - 21 de Maio, 2017

O encontro poderá também accionar a disputa dos campeonatos regionais nos escalões jovens,

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os jogadores de andebol poderão começar a época numa equipa e terminar noutra se forem accionadas as alterações que se pretendem ao regulamento de transferências da Federação Angolana de Andebol (Faand) a ser abordado durante o encontro nacional de treinadores que se realiza a 26 do corrente na sala de conferências do Comité Paralímpico Angolano.

Segundo apuramos de fonte próxima, perspectiva-se a abertura de uma segunda janela de transferências, no meio da época, o que permitirá que as equipas se reforcem neste período. Os actuais regulamentos permitem a transferência de atletas apenas durante o defeso e obrigam a que os atletas tenham que jogar a época toda numa equipa e inibe a contratação de atletas, principalmente os estrangeiros.

A questão da alteração do regulamento de transferências vai abrir o encontro nacional de treinadores, no dia 26 e terá como prelector Cardoso de Lima, antigo presidente da Faand, com moderação de Tony Sofrimento, quadro da Federação Angolana de Basquetebol. O encontro poderá também accionar a disputa dos campeonatos regionais nos escalões jovens, a partir de 2018. Este assunto vai ser apresentado pelo presidente da Faand, Pedro Godinho.

Morten Souback, seleccionador nacional vai falar aos treinadores, apresentando as conclusões do fórum de treinadores realizado no dia 19, enquanto Ana Paula Silva vai apresentar \"ideias para vender o produto andebol\".A \"implementação do mini-andebol nas escolas\", \"criação da escola nacional de treinadores de andebol\" e \"as lesões mais frequentes no andebol, suas consequências e prevenção serão outros temas que vão corporizar o encontro, cujas deliberações serão submetidas à assembleia-geral da Faand marcada para o dia 27.

Infantis abrilhantam
maratona

O jogo incomum, ontem, no pavilhão anexo da Cidadela Desportiva, entre as equipas femininas de iniciados do Petro de Luanda e do 1º de Agosto, ficou na retina das centenas de pessoas que assistiram, à maratona de jogos alusiva ao 20 de Maio, como um dos momentos mais altos do evento.

Duas antigas internacionais digladiavam-se, como treinadoras. De um lado Ilda Bengue, pelas petrolíferas e, do lado agostino, estava Rosa Amaral. Foi o jogo mais longo do torneio, uma vez que a equipa vencedora  apenas foi encontrada na marcação de livres, após dois prolongamentos.

As \"pequenas\" já alimentam uma rivalidade precoce. Este momento alto foi o pico de uma jornada que juntou acima de 300 crianças, adolescentes e jovens inscritos nos torneios de iniciados, juvenis e juniores, no âmbito dos festejos do Dia Nacional do Andebol.
Na plateia, dirigentes, antigos praticantes deleitavam-se com o espectáculo. Ganhar não era o mais importante. A festa era pelo dia da modalidade mais ganhadora do desporto angolano.

Uma festa que se estendeu por todas as praças da modalidade no país. O 20 de Maio foi vivido com festa em Luanda, em Benguela, no Uíge, no país todo, por força do instrutivo da Federação Angolana de Andebol (Faand) às associações provinciais.Paralelamente às manifestações provinciais, a Faand tem um programa comemorativo que inclui o fórum de treinadores, no dia 19 e nos dias 26 e 27 ao encontro nacional de treinadores e a sua Assembleia-geral.

A 20 de Maio de 1974, jovens entusiastas, entre eles Manuel da Costa, Macias, Ernesto Lara, Irmãos Almeida, Dantas Cardoso, José Cardoso, Marcelino Lima, Espírito Santo; manifestaram o seu interesse pela modalidade materializaram um projecto de massificação que culminou com a criação dos primeiros núcleos de andebol, nomeadamente o Neves Bendinha, INEF, Sporting e Ferroviário. A data foi instituída pela Faand como dia nacional do andebol.