Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Treinador admite dificuldades

Rosa Napoleão - 29 de Novembro, 2013

O técnico principal da Selecção Nacional de canoagem, Francisco Freire

Fotografia: Jornal dos Desportos

Em entrevista ao Jornal dos Desportos, Francisco Freire assegurou que os atletas se esforçaram muito para alcançar os objectivos.

“Fizemos um bom trabalho, tendo em conta a qualidade dos bem treinados atletas adversários habituados a competir naquele tipo de água, o nosso ritmo de vida e de treino estão abaixo dos nossos adversários, o que nos coloca em desvantagem, mas a firmeza e a destreza dos atletas nacionais permitiram alcançar as medalhas”, disse.

Fortunato Pacavira obteve uma medalha de prata e uma de bronze, Nelson Henriques conquistou uma de prata, Anet Silva trouxe duas medalhas de prata e uma de bronze e Paulo Rocha conseguiu duas medalhas de bronze. 

Apesar de ter conquistado mais de meia dúzia de medalhas, Francisco Freire considerou “um fracasso” a participação de Angola no Campeonato Africano da Tunísia. No “Africano” da Costa do Marfim, Angola obteve 14 medalhas entre ouro, prata e bronze.

“A Selecção Nacional está entre as melhores do continente africano e já provámos isso, obtendo 14 medalhas numa só competição, resultado difícild e alcançar. Por isso, na Tunísia não atingimos os nossos objectivos.”

Na prova, que contou com a participação de 17 países, a Selecção Nacional esteve representada pelos atletas Nelson Henriques, Fortunato Pacavira, Nazaré Neves, Anet Silva, Jairo Domingos e os paralímpicos Luís Cabral e Telma Menezes, que competiram nas especialidades dos 200, 500 e 1000 metros.