Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Treinos físicos atarefam Ricardo

Helder Jeremias - 26 de Julho, 2016

Ricardo Lopes promete fazer bons resultados durante o evento que homenageia um dos ícones do tiro angolano

Fotografia: Jornal dos Desportos

As sessões de treinos físicos e psicológicos marcam a última semana de preparação do vice-campeão nacional de tiro aos pratos, Ricardo Lopes, tendo em vista a disputa do Grande Prémio Zeca França no próximo fim de semana no campo de tiro do Regimento de Defesa Anti-Aérea, localizado no bairro Cantinton, em Luanda. O evento também se enquadra nas celebrações do 39º aniversário da constituição do clube 1º de Agosto a ser assinalado no primeiro dia do próximo mês.

Depois de ter elevado o prestígio pessoal com as cores do Team Socolil no ano transacto, Ricardo Lopes foi contratado pela infantaria do Interclube. O atirador residente na cidade de Lubango ainda não se apresentou na melhor forma desportiva na presente época, em função do longo defeso que o campeonato nacional observou. Nas próximas provas, o "novo polícia" promete maior acutilância.

"Estou a fazer uma preparação regular para melhorar a minha prestação dentro das condições que temos na nossa província", disse.  Avisado da presença da nata de melhores atiradores nacionais no Grande Prémio Zeca França, evento que homenageia um dos maiores ícones do tiro desportivo nacional, Ricardo Lopes está ciente de que o alcance dos mínimos necessários para arrebatar o troféu é intrínseco ao cumprimento cabal dos preceitos físicos e mentais que os cânones da modalidade estipulam.

O também atirador da selecção nacional reconhece que a actual situação económica tem redundado na escassez de material para treinos e competições na província da Huila, uma realidade que inquieta também os atiradores do Clube Desportivo de Tiro e Caça do Lubango e dos ex-colegas do Team Socolil. O atirador mantém a firmeza quanto às metas de melhorar o segundo lugar.

"Temos sido condicionados pela escassez de meios que a própria situação económica despoletou, daí que muito mais não pode ser feito. Este problema afecta o tiro no geral aqui na província, mas estamos conformados, pois só resta utilizar os meios que dispomos para elevar a nossa prestação no torneio que homenageia o nosso grande veterano, Zeca França", asseverou.

Ricardo Lopes reconhece que esteve muito aquém do seu potencial na quarta jornada do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, disputada no pretérito mês de Junho no âmbito do aniversário do Interclube. Na prova, que também marcou a inauguração do novo fosso olímpico da equipa da Polícia Nacional, quedou-se na 12ª posição com 103 pontos.

O vice-campeão está crente numa prestação mais ao seu jeito, quando entrar para as pranchas do campo da Força Aérea Nacional ao lado de colegas de equipa como Francisco Gastão, Ruca Mendonça, Filipe Falcão, entre outras apostas com quem a direcção de Alves Simões almeja amealhar o maior número de troféus para a galeria.
   
Com os termómetros a registarem temperaturas baixas na capital do país, Ricardo Lopes não vai ver o seu desempenho condicionado pelo excesso de calor que caracteriza Luanda durante o verão. Lubango apresenta temperaturas baixas.

O atirador do Interclube desembarca na sexta-feira em Luanda, dia previsto para a sessão de treinos livres. A prova é disputada no sábado e domingo. Ricardo Lopes agradece o trabalho levado acabo pela direcção do Interclube, com realce para a construção de modernas infra-estruturas desportivas para o tiro e demais modalidades massificadas pela agremiação, muito embora não desfrute na sua plenitude por residir na cidade do Lubango. Todavia, espera que os companheiros respondam o benefício com performance de alto nível.


ENSAIO
Paulo Silva dispara no GP Zeca França

O atirador do 1º de Agosto, Paulo Silva, garantiu a presença na quinta jornada do Campeonato Nacional de Fosso Olímpico, que o campo da Força Aérea nacional acolhe sábado e domingo no âmbito das comemoração alusivas ao 39º aniversário do clube militar e em homenagem ao veterano Zeca França, falecido em Dezembro de 2015.

O também atirador da selecção nacional chegou ontem ao país, vindo de Portugal, onde durante três semanas esteve a efectuar um estágio com vista a participação na 31ª edição dos Jogos Olímpicos, que a cidade do Rio de Janeiro vai sediar de 5 a 21 de Agosto.

Depois de ter feito a preparação ao lado dos melhores atiradores das terras de Camões, Paulo Silva está crente numa boa representação do país na maior cimeira desportiva do planeta.

"O estágio foi positivo. Tive a oportunidade de trabalhar com pessoas com grande palmarés e integrantes da selecção portuguesa, com destaque para o Manuel Marinho. Fiz também uma passagem pela cidade do Porto, onde realizei as derradeiras sessões de treinos que me permitiram aferir significativos progressos", garantiu Paulo Silva.

O melhor atirador nacional de momento não pretende voltar a ausentar-se do solo pátrio sem fazer a merecida homenagem ao "velho atirador" Zeca França, de que a sua geração começou a beber experiência nos anos 90 do século XX. Com os níveis de precisão testados de forma positiva em várias pranchas nas cidades de Lisboa e do Porto, Paulo Silva dispõe de argumentos tácticos suficientes para melhorar o terceiro lugar obtido na quarta prova do campeonato nacional. Naquela prova, o atirador do Team Socolil, Paulo Guga, venceu com 114 pontos, os mesmos de Jorge Perestelo, do 1º de Agosto.

Depois de ter obtido a vaga para os Jogos Olímpicos por intermédio do wild card, em função dos mínimos próximos do ideal para apuramento directo, Paulo Silva pretende marcar a passagem na maior cimeira desportiva com uma prestação condigna. O atirador conta com o apoio do 1º de Agosto e outros parceiros que tornaram possível a realização do estágio em Portugal.

Paulo Silva reconhece que a forte concorrência dos atiradores nacionais no Grande Prémio Zeca França vai resultar na disputa de uma das provas mais renhidas até agora realizadas no país. No entanto, considera "uma oportunidade para aferir a forma desportiva antes de rumar para as terras do Samba". O embarque está marcado para domingo, à noite. 

PARTICIPANTES
Clube de Benguela
confirma presença


A direcção do Clube de Tiro Caça e Pescas de Benguela está a criar as condições técnicas e administrativa para que os atiradores possam estar presentes no torneio em alusão ao 39º aniversário do 1º de Agosto, com palco no campo de tiro do Cantinton, no sábado e domingo próximos. O evento também serve para homenagear o antigo atirador do clube militar e da selecção nacional, Zeca França.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o secretário geral do clube da cidade das acácias rubras, João Peralta, avançou os quatro integrantes da equipa benguelenses devem deixar as terras de O'mbaka na sexta-feira de manhã e o regresso está previsto entre domingo e segunda feira.

João Peralta informou que os atiradores locais vão procurar estar presentes em todos os eventos que for possível, embora as metas não sejam a busca das melhores classificações. O Clube de tiro daquela província está condicionado pela burocracia das entidades competentes na autorização da petição de aquisição de pratos e cartuchos em Luanda.
João Peralta louvou a iniciativa do 1º de Agosto em homenagear o antigo atirador, Zeca França, por se tratar de uma figura que soube dar o contributo em prol da modalidade. O legado serve, de certeza, para que as novas gerações consigam elevar o nível do tiro nacional.

A presença de Angola nos Jogos Olímpicos por intermédio de Paulo Silva e outros feitos alcançados pelo tiro nacional no contexto das nações só foi possível, de acordo com João Peralta, "porque houve pessoas que sempre deram o melhor de si para que os mais jovens alcançassem a excelência do tiro".

João Peralta mostrou-se regozijado pelo ritmo dos trabalhos que a conclusão do novo campo Internacional está a levar em Benguela. O dirigente garantiu para breve a confirmação das datas para a inauguração e a realização de um torneio nocturno.
HELDER JEREMIAS