Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Treinos livres agitam Gamek

Helder Jeremias - 23 de Julho, 2016

Circuito do Gamek acolhe hoje sessão de treinos livres para a prova em homenagem ao Chefe de Estado

Fotografia: Jornal dos Desportos

Agitação total no circuito Jorge Varela. Máquinas e homens movimentam-se hoje, a partir das 8h00, nas boxes improvisadas para a realização da primeira sessão de treinos colectivos de motocross no quadro da preparação do Grande Prémio Zé Dú, agendado para o dia 28 de Agosto, em alusão ao 74º aniversário natalício do Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

A um mês da prova, o Jornal dos Desportos apurou que a ansiedade pela vitória cresce a cada dia em diferentes equipas e pilotos individuais. Alguns actores directos do espectáculo manifestaram preocupação em amealhar o maior número de pontos, tendo em conta o declinar da competição provincial de Luanda. Por outro lado, constar do pódio da prova que homenageia o Chefe de Estado é "motivo de orgulho". Nesse diapasão, as equipas agendaram treinos regulares virados para a vertente técnica, em alternância com trabalhos de ginásio.

Zé Cazenga, do Team Orbel e líder da competição, com 225 pontos; Augusto Congo "Agugu", individual, 202; e a aposta do Team 2 Lemos, Custódio Neto "Toíto", com 123 pontos na tabela, são os principais candidatos a conquista do troféu.

Não menos cotados para o título da prova, estão os jovens que apresentam a subida de rendimento desportivo. São os casos de Ricardo Jorge, do Team Orbel, com 98 pontos na tabela geral; Etelvino Sebastião, do Team Cazenga, 94; Garcia Silva, do Team Teimosos, 94.

O equilíbrio vai dominar a prova. Aos comandos de uma Suzuki, Zé Cazenga tem sido irrepreensível na presente época. Em seis provas disputadas, venceu cinco. Movido de espírito de ganhador, o piloto do Team Orbel transmite maior animosidade na sua campanha rumo ao resgate do título perdido na edição passada para Custódio Neto "Toito".

A sorte de Cazenga pode ser travada por Augusto Congo. Agugu, como também é conhecido, tem sabido conquistar uma legião de adeptos com performances de "encher os olhos" aos comandos da KTM. Em condições técnicas excepcionais, obteve o terceiro lugar na jornada inaugural, o segundo lugar nas duas jornadas subsequentes, venceu a quarta jornada e ocupou o terceiro lugar na quinta e sexta jornadas.

O campeão em título, Custódio Neto, começou por ser sombra de si próprio, quando se quedou na nona posição do primeira jornada, disputada no dia 28 de Abril. Na jornada seguinte, elevou a prestação com a quarta posição, desceu para a sexto lugar na prova a seguir e conquistou a primeira presença ao pódio (3º lugar) na quarta jornada, feito repetido na jornada seguinte. Na sexta jornada, não foi além do quinto lugar. A prestação é irregular.

Ricardo Jorge, que teve um início pálido muito por conta das debilidades físicas em virtude de ter padecido de paludismo nas semanas que antecederam o arranque da prova, tem dado sinais de recuperação nas duas últimas jornadas. O sonho de melhorar o terceiro lugar da época 2015 continua pouco provável. Na sua ficha de serviço consta um 9º lugar, uma desqualificação, uma quarta posição e duas presenças no pódio (3º e 2º lugares).  

A sessão de treinos livres vai decorrer em simultâneo com a reunião dos corpos sociais da Associação Provincial de Motocross de Luanda, que vão juntar-se na sede social da instituição. A direcção vai discutir e delinear as estratégias para os objectivos traçados.


CATEGORIA 150 CC
Ascensão de novos 
agrada Associação


O excelente desempenho dos pilotos da categoria dos 150cc do Campeonato Nacional de Motocross de Luanda está a reflectir a forte aposta que a direcção de Carlos Soweto e o vice-presidente Jandir Talaia está a dedicar no escalão de formação. Marcada pelo despique entre o piloto do Team 2 Lemos, Humba Carlos, e António da Silva, do Team Teimosos, a época está a evidenciar elevada fertilidade para jovens com os requisitos para projectar a carreira de sucesso. O primeiro classificado ostenta 227 pontos e o segundo, 160.

Jovens como Bonito Luaza, Herculano Chilombo, Orlando Ribeiro, Augusto Carvalho, Edivaldo da Silva, entre outros, têm sabido tirar proveito da oportunidade concedidas. Os pilotos da categoria de formação pautam por cumprimento de fundamentos desportivos.

A direcção da Associação vai continuar a apostar na formação, de acordo com Carlos Soweto. O responsável defende a necessidade de haver parceiros dispostos a trabalhar para que um maior número de jovens talentoso possa seguir os trilhos dos grandes nomes do desporto motorizado. O presidente sustenta que uma carreira desportiva de sucesso exige muita disciplina desportiva.

"Em breve, esses jovens vão tornar-se nos nomes mais sonantes do motocross nacional. Basta ver a forma como estão a progredir para aferirmos que existe muito talento a ser trabalhado. Porém, a Associação precisa contar com outras forças que queiram ajudar na massificação da modalidade, não só em Luanda, mas noutras regiões do país adentro", frisou Carlos Soweto.
HELDER JEREMIAS