Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Tristeza pinta marca de sessão de treinos

Rosa Napole?o - 12 de Março, 2017

Sessão de treinos de selecção nacional para o africano de katas em Madagáscar

Fotografia: Jornal dos Desportos

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o seleccionador nacional, Yuri Paim, manifestou a prontidão dos atletas com alguma reserva. A não confirmação dos integrantes da delegação angolana, quando falta pouco para o início do evento continental, deixa inquieto o grupo.

“Estamos preparados e, nos últimos dias, efectuamos apenas a continuação das técnicas ensaiadas. A nossa tristeza reside na falta de certeza da viagem por falta de financiamentos”, justificou.

A menos de três semanas para o primeiro combate, o secretário geral da Federação Angolana de Judo, Pedro Nzinga, assegurou ao Jornal dos Desportos que os esforços continuam a ser enveredados para se conseguir os meios financeiros.

“Não vamos desmoralizar-nos por faltar ainda alguns dias. A equipa nacional está preparada. Se as coisas mudarem, sem dúvidas, vamos estar na competição continental, nem que fosse com número reduzido”, garantiu.

Pedro Nzinga enunciou que “as necessidades da selecção nacional se circunscrevem na aquisição de bilhetes de passagem, estadia e pagamento da quotização à Confederação Africana de Judo”.

Sem dinheiro para participar dos eventos internacionais, o aumento de competições no presente ano é uma pretensão ofuscada. A Federação Angolana de Judo definiu a participação equilibrada dos atletas nacionais em todas as provas continentais.

“Não queríamos falhar nenhuma prova desse calendário para dar volume competitivo aos atletas. O nosso objectivo é aproveitar as competições internacionais e os estágios”, realçou.

Na agenda de actividades para os primeiros meses do ano corrente contam ainda a Taça da União Africana marcada para 27 e 28 de Maio nos Camarões e o Campeonato Africano de cadetes a 12 e 14 de Maio no Egipto.

O judo nacional já atingiu patamares elevados em África, como o Campeonato da Zona 5 em que conseguiu o maior número de medalhas de ouro.


Huilanos ambicionam
a Taça Março Mulher


As emoções continuam contagiantes na sétima edição da Taça Março Mulher de judo que decorre na cidade do Huambo. A delegação huilana, uma das convidadas, está presente no evento desportivo com oito atletas que animam os combates. Movidos pelo sentimento de vencedores, a equipa chefiada por Estêvão Mucongo, secretário geral da Associação Provincial de Judo da Huíla, pode levar hoje todas as medalhas de ouro em disputa.

Bem dotada tecnicamente, a equipa huilana disputa os combates da categoria por equipas, depois de ontem ter dominado as provas da categoria individual.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, Estêvão Mucongo garantiu que \"os objectivos da Huila consistem na conquista de maior número de medalhas em todas as categorias e classes em disputa\". A delegação das terras altas da Chela está na cidade do Huambo com \"atletas de elevada qualidade técnica para prestigiar o torneio anual\".

A garantia dos huilanos centra-se na boa localização geográfica do local de treinos. Durante três semanas, as sessões de preparação incidiram nos aspectos ligados à resistência física e técnica individual.

A responsabilidade de obter medalhas de ouro está depositada em André Sorriso, da categoria dos 60kg, Wilson Paulo, 73kg; Osmilde Macedo “Maninho”, 81kg; Gudizila, +100kg e Verónica Quintina, -52 kg, a única representa feminina.

“Fizemos uma selecção mista para representar a nossa província neste torneio. A Academia RCI cedeu maior número de atletas por serem os melhores judocas. Antes disso, fizemos o apuramento para formar a selecção mista”, sustentou.

Estêvão Mucongo adiantou que para dar maior rodagem competitiva dos judocas, a Associação provincial da Huíla trabalhou em conjunto com os mestres de diferentes escolas e academias.

“Fizemos treino de preparação conjunto ao longo de três semanas. Os mestres seleccionaram os melhores para dotar de performances competitivas os integrantes do Misto. Temos atletas que nos dão garantias para pontuar”, salientou.

Na edição transacta, a província da Huíla participou na categoria por equipas do evento do Huambo sem êxitos desejados. 

“Estivemos incompletos em todas as categorias”, justificou. Haviam faltado nos 81kg e +100kg.

“Tivemos duas baixas e perdemos um combate. Apenas ganhámos dois, o que foi insuficiente para levar o troféu. Se tivéssemos as seis categorias, teríamos ganhado por equipa\", disse o responsável.

A Taça Março Mulher é um torneio que se realiza anualmente no mês de Março na província do Huambo em homenagem à mulher.
          GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO