Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Triunfo militar sobre aviadores

Hélder Jeremias - 19 de Janeiro, 2014

Militares do Rio Seco continuam no encalço do Recreativo de Libolo após vencerem ontem os aviadores no Pavilhão anexo

Fotografia: Dombele Bernardo

Os adeptos do 1º de Agosto voltaram a estar contentes ontem à tarde, no pavilhão anexo número II da Cidadela Desportiva, mercê da vitória por 96-68 diante do Atlético Sport Aviação, em jogo de acerto da oitava jornada da primeira volta da fase regular do Campeonato Nacional de basquetebol, BAI Basket .

Moralizados pelo triunfo no campeonato provincial, os aviadores, às ordens de Jacinto Olim Jabila, entraram dispostos a contrariar o favoritismo militar, cujo plantel ainda procura maior entrosamento nos aspectos tácticos esboçados por Paulo Macedo. O equilíbrio estabeleceu-se desde o período inicial.

O 1º de Agosto, apático no quarto inicial, parecia estar condicionado ao ritmo imprimido pelo adversário, embora o melhor apetrecho em termos individuais sempre esteve subjacente. O treinador Paulo Macedo não teve receio de fazer jogar as unidades menos sonantes que está a moldar para o alto patamar do basquetebol.

Com Armando Costa, Joaquim Gomes Kicas e Carlos Almeida a denotarem baixos índices de produção, ao contrário do que tem sido norma, a formação militar contou com os bons préstimos do base Hermenegildo Santos, cestinha da partida, com 25 pontos, o poste Lelizardo Ambrósio e o extremo-poste Edson Ndoniema, ambos com 13 pontos, para contrapor à avalanche ofensiva aviadora.

O Atlético Sport Aviação foi mais coeso nos dois tempos iniciais, a pautar pelo jogo colectivo, tendo empatado o primeiro (19-19) e perdido o segundo por apenas dois pontos de diferença (38-40).

Depois do intervalo, os militares voltaram menos inibidos e provaram ser os donos da situação, embora ainda denotassem lacunas na estrutura defensiva e venceram por 61-55 e 96-68.

Com a vitória, o 1º de Agosto somou 13 pontos e mantém o segundo lugar, ao passo que o Recreativo do Libolo, líder da tabela classificativa (até então com 16 pontos), mediu forças com o Atlético Petróleos de Luanda, mas o resultado ainda não era conhecido até ao fecho desta edição.   


EM SUB-18
Nacionais com fraca adesão


O reduzido número de equipas participantes marca pela negativa os campeonatos nacionais de basquetebol de sub-18,  que decorrem desde ontem até ao próximo dia 28 deste mês, na cidade do Lubango, província da Huíla. Participam no certame 11 formações, em representação das províncias de Luanda, Benguela, Huíla e Bié.

O director técnico da Federação Angolana de Basquetebol, Nuno Teixeira, disse que o grande rigor existente hoje na inscrição dos atletas constitui uma das razões do reduzido número de equipas.

Nuno Teixeira esclareceu que a tramitação administrativa ligada à inscrição dos atletas mudou e muitos clubes não conseguiram inscrever os atletas a tempo. O responsável esclareceu que a FAB era flexível nos anos anteriores a ponto de aceitar fotocópias do Bilhete de Identidade durante as inscrições.

Nuno Teixeira avançou que hoje já não existe essa flexibilidade da FAB. A Federação exige documentos com maior credibilidade. “Como por exemplo, o Assento de Nascimento e o original do Bilhete de Identidade são alguns dos documentos que devem ser apresentados durante os jogos. Para além da ficha de inscrição e o número de licença, os atletas são obrigados a apresentar também o Bilhete de Identidade", disse.

A nova gestão da FAB não tolera falsificação nos documentos apresentados. Contudo, a FAB sempre esperou por mais formações.  “Baixamos de dez para cinco em masculinos e continuamos em femininos entre oito a seis equipas. Isso não é bom, mas há razões para tal”, disse Nuno Teixeira.

Outro motivo que pesa sobre a fraca adesão de clubes tem a ver com o período de inscrições. A Federação calendarizou o tempo e as que não entregaram o processo estão arredadas. O rigor no cumprimento do tempo apanhou de supresa muitas equipas, que no passado se deslocavam ao local de competição e efectuavam as inscrições um dia antes do começo da competição.

"Agora, acabamos com essa forma de trabalhar", disse.

A prova é disputada em femininos pelas equipas do 1º de Agosto, Sporting de Benguela, Maculusso, Sporting do Bié, Interclube e Benfica do Lubango, enquanto em masculinos, Casa do Pessoal do Porto do Lobito, Petro de Luanda, Clube Desportivo da Huíla, Sporting do Bié e 1º de Agosto.
              GAUDÊNCIO HAMELAY, NO LUBANGO